(15/17) COMO MONTAR UMA TABELA DE FRETE SEM BAIXAR AS CALÇAS, E AINDA DEIXAR SEU CLIENTE FELIZ!

Tabela de frete

Muito tem se falado sobre a criação de uma tabela de frete, com valores mínimos aceitáveis para que o transportador possa lucrar.

No momento em que escrevo este artigo, a notícia mais recente é de que um projeto de lei foi aprovado pela Comissão de Viação e Transportes, que cria a Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas.

Porém isso não quer dizer que já temos uma lei, porque para isso acontecer é preciso que o projeto seja aprovado em 3 instâncias:

  • Câmara dos deputados
  • Senado federal
  • Presidência da República

Ou seja, antes que se pense na possibilidade de isso acontecer, a melhor sugestão que eu posso te dar é te mostrar como você mesmo pode criar a sua tabela de frete.

Mas Ed, do que adianta eu criar uma tabela de frete se o mercado não paga?

Nós dois sabemos que o mercado não vai bem, mas nem por isso você precisa deixar de fazer seus cálculos, porque do contrário você ficará totalmente cego no seu negócio, sendo conduzido pelo mercado e não por suas ações.

Além disso, uma tabela de frete pode te ajudar com:

  • Facilidade ao passar uma cotação para um cliente
  • Comparação com a concorrência, para entender como você está no mercado em termos de preços
  • Comparação entre os tipos de carga, mostrando quais podem trazer uma melhor rentabilidade
  • Rastreamento de valores históricos, comparando seus números em relação ao preço dos insumos por exemplo

Viu como é importante?

Se você concorda, então continue lendo este artigo, para saber mais sobre tabela de frete, e colocar em prática as sugestões postadas aqui, o mais breve possível.

Neste artigo, você vai aprender mais sobre:

  • Quais são os tipos de tabela de frete que você pode criar, para uso no dia a dia
  • Como colocar e organizar cada ingrediente da tabela de frete
  • Qual a diferença entre uma tabela de frete do autônomo e da transportadora
  • Exemplos de tabela de frete
  • Que formas você pode utilizar para fazer o reajuste da sua tabela de frete
  • Qual diferenciais você precisa ter para justificar os preços da sua tabela de frete

Se interessou pelo assunto? Então não deixe de dividir essa informação com seus amigos. Basta clicar no link para sua rede social favorita aqui abaixo. Não leva nem 10 segundos!

TIPOS DE TABELA DE FRETE

Tipos de tabela de frete

Existem diversas formas de se criar tabela de frete, cada uma delas tem um propósito, que é entregar ao cliente os custos da forma mais clara possível.

Além disso, o objetivo da tabela de frete é te ajudar na hora de entregar uma cotação, e para isso você pode contar com algumas maneiras que vou te mostrar aqui.

Tipo de carga

Uma tabela de frete, para estar com os valores condizentes com a realidade, não pode ser genérica, ou seja, não dá para comparar a entrega de remédio com a entrega de grãos.

Por isso, se você tem uma transportadora e tem diferentes tipos de equipamentos, precisa criar uma tabela para cada tipo de carga.

Tipo de veículo

Muitas cargas diferentes podem usar um mesmo tipo de veículo, porém algumas delas exigem do equipamento adaptação.

Nestes casos, com base no investimento que foi feito e também no tipo de serviço, é necessário cobrar valores diferentes do cliente.

Viagem/rota (destino)

Muitas regiões possuem características diferentes, e é muito importante considerá-las na hora de fazer uma tabela, pois isso pode envolver custos.

Se você precisa seguir uma rota de estradas em péssimas condições, por exemplo, isso impactará num aumento com manutenção, além do tempo de viagem.

Faixa de quilometragem

É o meio mais comum de se criar uma tabela de frete, considerar um valor por faixa de quilometragem te permite fazer qualquer cotação muito rapidamente, pois basta saber a distância da entrega.

É claro que outros custos precisarão ser embutidos, os quais veremos mais a frente, mas ter a possibilidade de fazer uma cotação com base na quilometragem ajuda bastante no dia a dia.

Unidades da carga (ton, m³, litro, container)

Além da distância em km, é fundamental saber qual e quanto é unidade da carga, ou seja, os valores da tabela de frete precisam aumentar à medida que a unidade da carga aumenta.

Se um frete a ser cotado, por exemplo, é de 5 toneladas, o preço será menor que um frete cotado, na mesma distância, para 10 toneladas.

Os motivos para isso são o tempo de carregamento e viagem, além do impacto maior em manutenção por causa do peso.

OS INGREDIENTES DA TABELA DE FRETE

Ingredientes para uma tabela de frete

Ao longo desta série sobre cálculo de fretes, nós passamos por todas as etapas para chegar ao preço final.

Por isto, se você ainda não viu a série completa, eu sugiro que dê uma olhada com calma, para entender no detalhe como funciona.

Uma vez entendidos os conceitos, você só precisa saber exatamente como organizar estes ingredientes para compor a sua tabela de frete.

É importante frisar aqui, que cada frete cotado tem suas peculiaridades, seja pelo:

  • Risco de roubo à carga
  • Risco de acidentes na rota escolhida
  • Número de entregas a serem feitas (carga lotação ou fracionada)
  • Horário pré-definido de entrega (risco de atraso e não entrega)

Por isto, na tabela de fretes a sugestão é colocar somente os custos relacionados ao frete peso, que são:

Com isso, você terá todos os custos de transporte, seja no veículo em si, ou na estrutura administrativa que suporta a operação.

Aí, ao fazer uma cotação, você precisa adicionar ao valor do frete peso, os custos adicionais, tais como:

Por fim, e como ingrediente mais importante, você precisa adicionar a sua margem de lucro.

TABELA DE FRETE DE TRANSPORTADORA E AUTÔNOMO, DIFERENÇAS

Diferença entre caminhoneiro autônomo e a transportadora

É sabido que os custos diretos, aqueles gastos diretamente no veículo, nós não temos como fugir, independentemente de ser um caminhoneiro autônomo ou uma empresa de transportes.

Porém o caminhoneiro autônomo não tem alguns custos indiretos, tais como:

  • Aluguel de escritório
  • Energia elétrica e água
  • Telefone fixo
  • Colaboradores na administração

Por isto, a sugestão que eu dei logo acima sobre como montar uma tabela de fretes também vale para o autônomo, apenas excluindo a parte dos custos indiretos.

Agora, após calculada a tabela de frete com os custos do frete peso, o caminhoneiro autônomo não precisa se preocupar com os demais itens porque, teoricamente, ele não os terá.

Mas que itens são esses?

Esses itens são responsabilidade da empresa de transporte, que irá contratar os seguros necessários, além de prover o pagamento de pedágio ao caminhoneiro autônomo (na verdade quem deve pagar o pedágio é o embarcador, salvo em cargas fracionadas).

O único item que o caminhoneiro autônomo pode observar é com relação às generalidades, afinal ele também poderá ter custos com isso e deve repassá-los.

EXEMPLOS DE TABELA DE FRETE

Vou relacionar aqui 4 exemplos de tabela de frete, encontrados no site da Betalabs.

Tabela referencial de custos do transporte rodoviário de carga

Tabela de frete por região

Tabela de frete por estado brasileiro

Tabela de frete - carga fracionada

FORMAS DE REAJUSTE DA TABELA DE FRETE

Reajuste na tabela de frete

Ter uma (ou mais) tabela de frete é fantástico, poupa tempo na hora de fazer uma cotação, e te deixa livre para pensar em outras frentes do seu negócio.

Porém, eventualmente você terá que fazer o reajuste desta tabela, principalmente em função do aumento de alguns insumos, como óleo diesel, pneus, etc.

Por isto, você precisa estar preparado e atento aos seus custos, para que na medida do possível possa repassá-los ao seu cliente.

Mesmo com a crise no mercado, e com os preços de frete no chão, você precisa ficar muito ligado nisso, porque do contrário a sua margem de lucro vai para o ralo.

Vamos ver então 3 formas que você pode utilizar para fazer este reajuste na tabela de frete:

Aumento nos custos mais importantes

Toda vez que você sentir o aumento nos custos com:

  • Combustíveis
  • Pneus
  • Mão de obra

Eu recomendo fortemente que você já faça o repasse na tabela de preço, isto porque estes 3 custos representam mais da metade de todos os custos de uma transportadora.

Análise dos custos no final do mês

É fundamental olhar para os 3 custos mais importantes, citados acima, principalmente porque é fácil e visível.

Porém, custos menores também impactarão na sua margem de lucro, e por isso uma das formas de fazer o reajuste é analisando os resultados de um mês fechado.

Se a sua rentabilidade está caindo em função no aumento (inevitável) de custos, então a sugestão é fazer o repasse na tabela de frete.

Utilização de índices econômicos nacionais

A NTC Logística divulga com frequência o INCT (Índice Nacional do Custo do Transporte), dividido entre carga fracionada e carga lotação, clique aqui para conhecer o índice.

Além disso, a Fundação Getúlio Vargas também divulga índices que podem ser usados como referência no reajuste de tabela de frete.

COMO JUSTIFICAR UM REAJUSTE? COM DIFERENCIAL

Diferenciais no cliente

Está tudo muito bom, muito fácil de calcular, e se você seguir certinho minhas recomendações, não terá dificuldades em criar a sua tabela de frete.

Mas e aí? Como passar essa tabela aos seus clientes sem que eles entortem o nariz?

Com a crise terrível que o país enfrenta nos últimos anos, você deve saber melhor do que eu que não é fácil impor preços, sem que ao menos o seu cliente deixe de pensar numa 2ª opção de fornecedor.

E aí eu te digo que a única forma que eu conheço de fidelizar os seus clientes, conseguindo mantê-los na carteira mesmo com um aumento na tabela, é se diferenciando dos demais.

Existe uma teoria de administração, voltada para a indústria manufatureira, que sugere existir apenas dois caminhos estratégicos que uma empresa pode utilizar para crescer:

  • Volume: produzir em larga escala permite reduzir custos e lucrar mesmo com preços baixos
  • Diferenciação: produzir em escala menor, mas agregando o máximo de valor possível ao produto

Aí eu te pergunto, como você pode baixar custos com escala em transporte rodoviário?

Não tem como, a operação de transporte rodoviário é complexa, e se você não tiver diferencial pode esquecer de lucrar como gostaria.

Por diferenciação eu quero dizer:

  • Agir com extremo compromisso e competência junto ao cliente, não atrasando entregas e não avariando parte da carga;
  • Criar uma relação em que o cliente confia nos seus serviços (médio e longo prazos);
  • Oferecer pequenos serviços adicionais, que podem poupar custos do cliente;
  • Ser incansável na redução dos custos do embarcador, através de sugestões (sempre que possível) no processo.

Apenas fazendo uma comparação, mesmo que não seja o seu caso, imagine o que você espera da sua equipe, de cada pessoa que trabalha contigo.

Se essa equipe busca todos os dias situações de melhoria no processo, você sabe que pode contar com ela em qualquer situação, e que haverá motivação mesmo nos momentos mais difíceis.

Agora, se você tem uma equipe que apenas cumpre o que é pedido, e não vê a hora de ir embora as 18 horas, então a sua confiança será diferente.

No caso de um embarcador em relação à transportadora é a mesma coisa.

Se você é do tipo que só transporta e pronto (igualzinho ao funcionário que quer ir embora as 18 horas), então chegou a hora de fazer algo a mais, de realmente se diferenciar do senso comum.

CONCLUSÃO – TABELA DE FRETE

Uma tabela de frete pode te ajudar bastante no dia a dia do negócio, pois traz as referências de valores necessárias para as cotações.

Se você está precisando de fretes, como eu acredito que a maioria esteja, então faça uso de uma tabela com valores preestabelecidos.

Aproveite que você tem os números na mão e vá em busca de embarcadores, pois te garanto que dificilmente eles baterão à sua porta.

Pense nisso 😉

Forte abraço
Ed Trevisan

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário

Série: Cálculo de fretes

  • [01/17] – Como fazer o cálculo de fretes sem perder dinheiro.
  • [02/17] – Por que você pode perder dinheiro se não calcular a cubagem?
  • [03/17] – 7 motivos para você considerar a depreciação no seu cálculo de fretes.
  • [04/17] – Por que o custo de oportunidade não pode ficar de fora da sua planilha?
  • [05/17] – Como calcular seu custo fixo por dia?
  • [06/17] – Quais as vantagens de saber o custo variável por km rodado?
  • [07/17] – 7 fatos que talvez você não saiba sobre custo direto.
  • [08/17] – Por que normalmente os autônomos se esquecem do custo indireto?
  • [09/17] – Qual a maneira correta de calcular o Ad Valorem?
  • [10/17] – Qual o percentual correto deve ser utilizado no GRIS?
  • [11/17] – Tabela completa com todas as generalidades cobradas no mercado.
  • [12/17] – Como fazer o cálculo do pedágio usando mais de um formato?
  • [13/17] – A carga tributária que você paga atualmente está correta?
  • [14/17] – Qual margem de lucro devo usar no mercado de transportes?
  • [15/17] – Como colocar corretamente os ingredientes para a formação do preço do frete?
  • [16/17] – Qual é o ponto de equilíbrio de uma viagem?
  • [17/17] – Planilha de frete, que automatiza o processo de cálculo de fretes.
  • oi Riva, neste próprio artigo eu oriento sobre como fazer o cálculo por peso. Abraço.

  • Antonio Jucá

    Como eu entro contato com você pelo wthassap ou Algum , Para da uma palestra de e começo do segmento da minha empresa..