(08/17) – POR QUE OS AUTÔNOMOS NORMALMENTE SE ESQUECEM DOS CUSTOS INDIRETOS

Custo indireto: por que os autônomos se esquecem

Você é caminhoneiro autônomo?

Se a sua resposta for sim, então eu queria que você refletisse se realmente considera todos os custos da sua atividade.

É bem provável que você não faça isso, e não porque você não queira, mas porque muitas vezes falta conhecimento a respeito do tema.

Desde que comecei a atuar na área de transporte rodoviário de cargas, pude perceber que a classe de caminhoneiros autônomos sofre para conseguir manter as contas em dia, e o problema quase sempre está no preço recebido pelos fretes.

A questão é que muitos, na maioria das vezes novatos no ramo, se iludem achando que se descontarem os custos fixos e variáveis do caminhão, poderão ficar com o restante em forma de lucro.

Gente que pensa desta forma, acaba cobrando um valor menor pelo frete, e isso ajuda a desregular o mercado, forçando a todos a baixarem os preços.

Com toda certeza o caminhoneiro autônomo não tem somente os custos diretos (fixos + variáveis) e, apesar dos custos indiretos representarem uma parcela menor no custo total, são muito importantes, e no final acabam reduzindo o seu lucro, ou até contribuindo para um resultado de prejuízo.

Mas afinal o que são os custos indiretos?

Custos indiretos são aqueles que não estão ligados diretamente com a operação do veículo. Não variam, portanto, com a quilometragem rodada.

Os custos indiretos estão relacionados com o tempo, assim como os custos fixos do veículo.

Três grupos de contas formam o custo indireto, e talvez você não tenha algumas delas, apesar de serem comuns a todos os caminhoneiros autônomos:

  • Despesas administrativas
  • Despesas de viagens
  • Impostos

Se você ainda não se identificou com estas despesas não tem problema, pois mais a frente falarei sobre cada uma delas, para que não fique nenhum tipo de dúvida a respeito.

Continue lendo este artigo onde vou explicar por que alguns autônomos se esquecem dos custos indiretos, e como você pode fazer para calculá-lo da forma correta.

Você vai aprender mais sobre:

  • Despesas administrativas e seus custos médios para autônomos
  • Como definir uma diária de viagem
  • Quais são os impostos embutidos na profissão de caminhoneiro autônomo
  • Que margem de lucro considerar
  • Como fazer o cálculo do valor do frete para autônomos

Gostou do que vem por aí? Então compartilhe esse artigo com seus amigos para que todos possam aprender sobre o custo indireto, e conheçam seus reais custos em transportes.

DESPESAS ADMINISTRATIVAS: CUSTOS MÉDIOS PARA AUTÔNOMOS

Despesas administrativas

É possível que um caminhoneiro autônomo não tenha nenhuma despesa administrativa em sua operação.

Porém, é importante ressaltar todas as possibilidades aqui, até para que você possa refletir como funciona no seu caso.

Um autônomo pode ter as seguintes despesas administrativas:

Contador

Dependendo do seu volume de faturamento, e até de quantos carros você tem, é possível contratar um contador para auxiliar em questões burocráticas, e de prestação de contas ao governo.

O custo com um contador é mensal e fixo, variando em média de 1/2 (meio) a 1 salário mínimo.

Telefone

Pode parecer bobagem, mas o custo mensal com um telefone celular, por exemplo, pode ser representativo se você multiplicar por 12, e descobrir o custo anual.

Se você usa o seu telefone celular para exercer a atividade, é preciso considerá-lo na hora de calcular as suas despesas.

Material de escritório

É pouco provável que você tenha um custo alto com material de escritório, porém qualquer despesa neste sentido precisa ser considerada.

Alguns custos podem ser esporádicos, como a impressão de cartões de visita por exemplo.

Seguro de vida

Se você dirige seu caminhão é provável que tenha um seguro de vida, e esse custo é maior em função da periculosidade da profissão.

Por este motivo este custo precisa ser considerado como custos indiretos.

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário

Empresas de transportes

Agora, se você tem uma empresa de transportes, as suas despesas administrativas são bem maiores.

Neste caso, as despesas administrativas estão divididas em dois grandes grupos:

  • Salários e encargos sociais do pessoal não envolvido diretamente com a operação dos veículos (pessoal administrativo, vendas e diretoria);
  • Outras despesas necessárias ao funcionamento da empresa, como aluguel, impostos, material de escritório, comunicações, depreciação de máquinas e equipamentos (não confundir com depreciação de veículos).

Podemos subdividir estes itens em:

  • Salários;
  • Encargos sociais;
  • Aluguéis;
  • Água;
  • Energia elétrica;
  • Telefonia;
  • Serviços de terceiros (não relacionados aos veículos);
  • Impostos e taxas;
  • Depreciação de máquinas, equipamentos, móveis e utensílios;
  • Outros custos:
    • Material de escritório;
    • Uniformes;
    • Refeições.

Se você tem uma empresa, talvez tenha dificuldade em considerar estes custos indiretos nos custos de cada veículo.

Por isso, minha sugestão é que você faça um rateio dos custos, atribuindo um percentual maior ou menor de acordo com o faturamento de cada veículo.

DIÁRIAS DE VIAGEM: COMO DEFINIR

Diárias de viagem

Você pode não ter nenhuma despesa administrativa, mas de alguns custos na viagem você não tem como escapar.

Veja que os custos que vou relacionar aqui não estão contemplados nos custos variáveis, mas mesmo assim saem do seu bolso.

Custo é custo, por menor que ele possa parecer.

Mesmo que você tente economizar ao máximo, ainda sai caro se você colocar na ponta do lápis.

Dentre as principais despesas de viagem que você pode ter estão:

Refeições

Ao longo do dia você fará ao menos duas refeições, podendo ser três ou quatro. E o custo destas refeições, sendo feitas no restaurante ou na sua própria cozinha, precisam ser contemplados.

Chapa

Sempre que você precisar de um chapa, terá que embutir este custo no frete, correto?

Pois este valor é considerado uma despesa de viagem, dentro dos custos indiretos.

Pedágios

O valor gasto com pedágios é considerado uma despesa indireta de viagem, e você precisa calcular junto no custo caso o embarcador ou transportador não te reembolse.

Borracharia

É muito comum você ter gastos com borracharia na estrada, e estes custos precisam ser considerados também, afinal saíram do seu bolso.

Como definir uma diária de viagem?

As despesas diárias de viagem podem variar de acordo com o conforto que você deseja e também a região do Brasil, mas em média é possível considerar os seguintes valores:

AtividadeValor
Café da manhãR$ 7
AlmoçoR$ 18
JantarR$ 18
PernoiteR$ 30
Outras despesasR$ 17
TotalR$ 90

Ou seja, para cada viagem você pode considerar R$ 90 por dia para cobrir estas despesas.

IMPOSTOS PARA CAMINHONEIROS AUTÔNOMOS

Impostos - GPS

Os caminhoneiros autônomos possuem basicamente quatro impostos, porém um deles (ISS) pode ser cobrado apenas se os serviços prestados forem estritamente municipais.

Desta forma, restam os outros três impostos mais comuns:

  • IR: Imposto de Renda, tributo cobrado pelo Governo Federal sobre a renda efetiva do caminhoneiro;
  • Sest/Senat: contribuição compulsória, cujos valores recolhidos são usados para a oferta de cursos, especialidades médicas, odontológicas e atividades de lazer nas Unidades Operacionais distribuídas por todo país;
  • INSS: contribuição para a sua aposentadoria.

As alíquotas dos impostos podem variar em alguns casos, mesmo assim acho que você pode considerar os seguintes valores como base de cálculo:

  • IR: 2,7%
  • Sest/Senat: 0,5%
  • INSS: 2,2%
  • Total: 5,4%

No caso das empresas, a tributação é maior, e eu sugiro que você fale com um contador para entender a evolução das taxas conforme faturamento.

MARGEM DE LUCRO: QUAL CONSIDERAR?

Margem de lucro após os custos indiretos

Definir uma margem de lucro pode ser algo bastante pessoal, afinal é você definindo um percentual do valor do frete que você acha justo como remuneração pelo seu trabalho.

Se por um lado você tem a liberdade de escolher qual percentual utilizar, por outro o cliente pode não querer pagar se for uma taxa alta.

Da mesma forma, se você considerar um percentual muito baixo, não vai ganhar o suficiente para trazer o sustento de casa, e ainda corre o risco de não conseguir fazer uma reserva para imprevistos.

Por estes e outros motivos, que eu acredito em uma margem média de lucro de R$ 15% para caminhoneiros autônomos.

Lembrando que 15% significa quanto efetivamente sobrará no fim do mês, após consideradas todas as despesas que venho falando aqui nesta série sobre de cálculo de fretes.

CALCULANDO CUSTOS, IMPOSTOS E LUCRO

Antes de começar a falar deste cálculo, eu preciso que você entenda perfeitamente a diferença entre os valores que temos no formato de dinheiro (R$) e os valores que estão em percentuais (%).

Por isso, eu criei esta tabela abaixo, que mostra todos os custos de um autônomo + a taxa de lucratividade.

TipoDescriçãoFormatoFunção
Custos DiretosCustos fixos mensaisR$Tempo
Custos variáveis por kmR$Distância
Custos IndiretosDespesas AdministrativasR$Tempo
Despesas de ViagemR$Tempo
Impostos%Variável
Lucratividade%Variável

Perceba que são 6 linhas na tabela, das quais:

  • 3 linhas têm valores em R$ em função de tempo, ou seja, precisam ser calculados para chegarmos no valor por diária:
    • Custos fixos mensais
    • Despesas Administrativas
    • Despesas de Viagem
  • 1 linha tem valores em R$ em função de distância, ou seja, precisa ser calculado por km rodado:
    • Custos variáveis por km
  • 2 linhas têm valores em percentual, ou seja, variam de acordo com os valores em R$:
    • Impostos
    • Lucratividade

Impostos e Lucratividade

Vamos começar pelas últimas 2 linhas, que falam de percentuais.

Se os impostos e a lucratividade precisam variar de acordo com o que é gasto com os outros custos, então vamos criar uma fórmula para calcular isso.

Essa fórmula, chamada de mark up, é nada mais do que um fator que você pode usar sempre que quiser saber exatamente quanto cobrar por diária ou km rodado.

Mark up = 100% / [ 100% – (Impostos + Lucratividade) ]

Difícil? Calma, que a fórmula é bem simples na verdade, e para te provar que é verdade vou colocar aqui um passo a passo:

  1. Some os impostos com a lucratividade: 5,4% + 15% = 20,4%
  2. Tire estes 20,4% de 100% que você tem: 100% – 20,4% = 79,6%
  3. Divida 100% pelos 79,6% que você conseguiu: 100% / 79,6% = 125,63%

Ou seja, os 100% são todas os custos em R$ que você tem, e os 25,63% que sobraram são para cobrir os impostos + a sua lucratividade.

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário

Função de tempo: diária do caminhão

Agora que você já tem o mark up, para calcular a diária é mais simples.

  1. Some os seus custos fixos mensais com as despesas administrativas mensais
  2. Divida o resultado por 22 dias
  3. Some ao resultado o seu custo com diárias de viagens
  4. O resultado é o seu custo por diária sem impostos e lucratividade
  5. Multiplique o resultado por 125,63% e você terá o preço a ser cobrado (de diária do seu veículo) do seu cliente

Função de distância: km rodada

Para saber quanto cobrar do seu cliente por km rodado, faça o seguinte:

  1. Some todos os seus custos variáveis durante um período (1 a 3 meses)
  2. Divida esta soma pelo número de km rodados
  3. O resultado é o seu custo por km rodado
  4. Multiplique este custo por 125,63%, e você terá o preço a ser cobrado por km rodado (já inclusos os impostos e lucratividade)

CONCLUSÃO: CUSTOS INDIRETOS

Custos indiretos

O sonho de todo caminhoneiro autônomo é poder trabalhar na profissão com dignidade, lucrando o suficiente para ter uma vida decente, e ser capaz de pagar suas despesas e até uma troca de veículo de tempos em tempos.

O entendimento dos custos indiretos pode ajudar na composição correta dos custos, e na formação adequada do preço de frete.

É preciso ter consciência de que não existem apenas os custos fixos e variáveis do caminhão, e que os custos indiretos podem ser bem representativos se tomarmos cuidado.

Mas a verdade é que não há uma receita de bolo para conseguir o preço correto do frete, mesmo você tendo a ideia exata dos seus custos.

Portanto, mesmo que você tenha dificuldades em conseguir bons fretes, faça sempre os cálculos, e te garanto que estará dando o 1º passo na direção de quem realmente quer fazer a diferença e vencer.

O segredo do sucesso é a consistência da persistência”- Harry Banks

Série: Cálculo de fretes

Já leu os demais artigos da série? Cada um destes assuntos foi pensado cuidadosamente, e de forma sequencial, para que você se torne um expert no assunto:

  • [01/17] – Como fazer o cálculo de fretes sem perder dinheiro.
  • [02/17] – Por que você pode perder dinheiro se não calcular a cubagem?
  • [03/17] – 7 motivos para você considerar a depreciação no seu cálculo de fretes.
  • [04/17] – Por que o custo de oportunidade não pode ficar de fora da sua planilha?
  • [05/17] – Como calcular seus custos fixos por dia?
  • [06/17] – Quais as vantagens de saber o custo variável por km rodado?
  • [07/17] – 7 fatos que talvez você não saiba sobre custo direto.
  • [08/17] – Por que normalmente os autônomos se esquecem do custo indireto?
  • [09/17] – Qual a maneira correta de calcular o Ad Valorem?
  • [10/17] – Qual o percentual correto deve ser utilizado no GRIS?
  • [11/17] – Tabela completa com todas as generalidades cobradas no mercado.
  • [12/17] – Como fazer o cálculo do pedágio usando mais de um formato?
  • [13/17] – A carga tributária que você paga atualmente está correta?
  • [14/17] – Qual margem de lucro devo usar no mercado de transportes?
  • [15/17] – Como colocar corretamente os ingredientes para a formação do preço do frete?
  • [16/17] – Qual é o ponto de equilíbrio de uma viagem?
  • [17/17] – Planilha de frete, que automatiza o processo de cálculo de fretes.

E você? Já sabia tudo sobre custos indiretos? Deixe um comentário logo abaixo, e conte pra gente as suas experiências, dores e angústias sobre este tema.

Forte abraço e até o próximo artigo!
Ed Trevisan