[05/17] COMO CALCULAR OS CUSTOS FIXOS POR DIA DE UM CAMINHÃO

Custo fixo direto

Os custos fixos de cada caminhão de sua frota estão entre os mais importantes na hora de você fazer o cálculo de fretes.

Agora, e se você puder saber quais são os custos fixos por dia de cada veículo? Facilita em muito o seu trabalho, não é mesmo?

Dentro desta série sobre como calcular corretamente o frete para seu cliente, hoje vamos falar sobre o cálculo destes custos, que muitas vezes são ignorados.

A questão é que custo é custo, e mesmo que você os ignore no cálculo, certamente vai ter que pagar por eles.

Então, nada melhor do que calcular certinho os seus custos fixos diretos e considerá-los na hora de fazer o seu preço de frete.

Ter os valores totais dos custos fixos de cada caminhão pode ajudar, mas não resolve o seu problema do dia a dia.

Com o nosso tempo cada vez mais curto, é muito importante que você saiba exatamente quanto cada caminhão tem de custos fixos por dia.

Com isso você pode formar uma tabela da sua frota por exemplo (não esquecendo de atualizar sempre que algum valor do custo fixo mudar), e usar os valores de forma prática na hora de calcular os fretes.

Mas como fazer este cálculo?

É isso que vamos ver logo em seguida, mas como é de praxe, eu gosto de deixar o tema o mais completo possível, e por isso vamos ver detalhadamente tudo o que envolve o cálculo dos custos fixos por dia, de cada veículo.

Continue lendo para saber mais sobre:

  • O que são na verdade os custos fixos de um caminhão?
  • Quais são os custos fixos que todo veículo de sua frota tem?
  • Como medir os custos fixos por mês, dia e hora?
  • Por que os custos fixos não devem ser medidos por km rodado?
  • Existe diferença entre os custos fixos diretos de um autônomo e uma empresa?

Parece interessante? Então compartilhe esse artigo com seus amigos para que todos possam aprender sobre os custos fixos, e consigam o preço justo do frete.

O QUE SÃO CUSTOS FIXOS DIRETOS

Custos Fixos do Caminhão

Todo veículo tem custos fixos, independentemente de você ser um caminhoneiro autônomo, ou ter uma transportadora.

E esses custos, como diz o próprio nome, são fixos, ou seja, não irão variar de acordo com o quanto este veículo roda.

Ou seja, mesmo que você compre um veículo e deixe-o parado durante um ano inteiro, ainda assim precisará arcar com estes custos fixos diretos.

Por outro lado, se você conseguir tirar o máximo de proveito do seu veículo, o custo fixo também não irá alterar, o que significa aumentar a sua rentabilidade.

Para resumir o conceito, custos fixos diretos são aqueles gastos que você terá de qualquer jeito, não adianta chorar.

Ao invés disso, o que você precisa fazer é ter estes custos em mente sempre, e tentar buscar o máximo de produção do seu veículo ou sua frota.

CUSTOS FIXOS DE UM VEÍCULO

Custos fixos de um veículo

Vamos então, ver agora quais são os custos fixos diretos que todo veículo possui. Talvez alguns deles você já inclua no cálculo de fretes, mas não sei se todos.

Depreciação de veículos

Todo veículo, após anos de uso, perde valor, é algo natural e você sabe que precisará trocá-lo por um mais novo em algum momento.

Se você comprou, por exemplo, um caminhão por R$ 300 mil há 5 anos atrás e agora quer trocá-lo, mas ele vale apenas R$ 180 mil, como você irá fazer para compensar os R$ 120 mil que depreciaram?

Este é o grande motivo de você precisar incluir nos seus custos fixos um valor de depreciação, pois este valor é a sua reserva mensal para a compra de um novo caminhão no futuro.

Dentro da nossa série sobre cálculo de fretes eu escrevi um artigo inteiro sobre depreciação de veículos, que você pode conferir clicando aqui.

Custo de Oportunidade ou Remuneração de Capital

Pegando o exemplo do caminhão comprado por R$ 300 mil, que citei logo acima.

A verdade é que você comprou o caminhão, mas poderia ter feito qualquer outra coisa com esse dinheiro, você poderia:

  • Deixar esse dinheiro rendendo juros no banco;
  • Investir em um outro negócio;
  • Investir em um imóvel e receber aluguel;

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário

E todas essas outras hipóteses são chamadas de custo de oportunidade, ou seja, quanto você deixou de receber em outra atividade remunerada.

Se existia uma outra oportunidade de usar o dinheiro, mas ele foi aplicado no caminhão, então é justo que este custo de oportunidade seja incluído nos teus custos fixos.

Clique aqui, e leia um artigo completo que escrevi sobre o tema, dentro da série de cálculo de fretes.

Licenciamento, IPVA e Seguro Obrigatório

Essas obrigações legais você não tem como fugir, se quiser estar dentro da lei é claro.

São valores que são gastos uma vez por ano e não se alteram se o seu veículo rodar ou não.

Além do licenciamento, IPVA e seguro obrigatório, no caso do transporte rodoviário de cargas você também tem gastos com a taxa de vistoria do tacógrafo, além do despachante se você terceiriza estes serviços.

Seguro do Casco do Veículo

O seguro do veículo não é obrigatório, mas é muito importante principalmente se você tem uma frota pequena, ou apenas um caminhão.

Trabalhando com uma seguradora, você garante que não terá surpresas com eventuais acidentes ou roubos.

Agora, se você tem uma frota grande de veículos, talvez o interessante seja criar um fundo de reserva interno, e os valores que você pagaria para a seguradora, podem ser guardados mês a mês para cobrir estas eventualidades.

MEDINDO OS CUSTOS FIXOS POR MÊS, DIA E HORA

Custos fixos por dia, mês e hora

Agora que você já sabe quais são os custos fixos de um veículo, vamos entender como é possível medir exatamente estes custos por mês, dia e também hora.

Ter os valores de cada veículo, especialmente por dia e hora, são muito importantes na hora de você calcular o frete, pois significa o uso de tempo deste caminhão.

A regra é simples, se você observar cada custo fixo, vai perceber que todos eles são anuais, ou seja, todos podem ser divididos por 12 meses.

Agora, quando vamos para o valor diário e por hora é que você precisa ter atenção.

Não adianta dividir cada custo fixo por 30 dias, se o seu caminhão não roda 30 dias do mês. Como exemplo eu vou pegar um custo com IPVA de um caminhão.

Vamos supor que este IPVA custe R$ 3.720,00 no ano de 2016, dividindo por 12 meses você tem um custo de R$ 310 por mês, certo?

Agora vamos como fica o custo diário:

  • Se você considerar 30 dias no cálculo, o custo diário será de R$ 10,33;
  • Agora, se você considerar 22 dias por exemplo, o custo diário será de R$ 14,09.

Qual dos dois valores é mais vantajoso (e justo) para você?

Claro que os R$ 14,09, porque ele representa realmente o custo diário com IPVA deste veículo, e precisa ser considerado na hora de calcular o valor do frete a ser cobrado do seu cliente.

No caso das horas é a mesma coisa, seu veículo não roda 24 horas por dia, por isso você deve considerar quantas horas em média este veículo realmente roda todos os dias.

A minha sugestão é que você considere 12 horas em média, de uso diário do caminhão.

CUSTOS FIXOS DIRETOS NÃO DEVEM SER MEDIDOS POR KM RODADO

Custos fixos não devem ser medidos por km rodado

Você faz cálculo de custos fixos por km rodado?

Ter uma noção de custo por km rodado é muito importante, mas para os custos variáveis, e não os custos fixos.

Te explico aqui o porquê.

Imagine que este ano o mercado está muito em baixa, e você esteja rodando pouco com a sua frota.

Porém, os custos fixos não perdoam, você terá que pagá-los independentemente de ter fretes ou não.

Agora imagine ter que calcular os custos fixos, dividindo-os por uma quantidade de km muito menor do que realmente você costuma rodar.

O custo por km rodado ficará enorme, e irá distorcer a sua análise de quanto cobrar de frete.

Tenha em mente que os custos fixos são custos de tempo, e não de km, ok?

AUTÔNOMO vs EMPRESA: EXISTE DIFERENÇA NOS CUSTOS FIXOS DIRETOS?

Dentro do cálculo de fretes, os custos totais de um autônomo são diferentes dos custos totais de uma transportadora.

Porém, quando o assunto são os custos fixos do veículo, que também chamamos de custos fixos diretos, não há diferença.

Tanto o autônomo quanto a empresa pagarão os mesmos valores, a menos que a transportadora resolva guardar como reserva um valor menor do seguro do casco, comparado ao valor pago a uma seguradora.

Por isso, se você é autônomo ou possui uma transportadora, saiba que até aqui os custos desta série são iguais.

A partir do próximo artigo, sobre custos variáveis, os custos começam a ficar um pouco diferentes.

CONCLUSÃO: CUSTOS FIXOS

Autônomo vs Empresa

Saber quais são os custos fixos diretos de um veículo, e poder ter esta informação em valores por mês, dia e hora, é vital para você calcular corretamente o valor do frete.

O mercado de transporte rodoviário de cargas está difícil, e eu sei que muitas vezes você não consegue cobrar o preço justo.

Porém, você ter precisa ter a noção exata dos seus custos, e primeiro passo é saber no detalhe quando cada veículo te custa todos os dias.

Você já leu os outros artigos da série sobre cálculo de fretes? Não perca mais tempo, comece agora e saiba tudo sobre esse tema:

Série: Cálculo de fretes

  • [01/17] – Como fazer o cálculo de fretes sem perder dinheiro.
  • [02/17] – Por que você pode perder dinheiro se não calcular a cubagem?
  • [03/17] – 7 motivos para você considerar a depreciação no seu cálculo de fretes.
  • [04/17] – Por que o custo de oportunidade não pode ficar de fora da sua planilha?
  • [05/17] – Como calcular seu custo fixo por dia?
  • [06/17] – Quais as vantagens de saber o custo variável por km rodado?
  • [07/17] – 7 fatos que talvez você não saiba sobre custo direto.
  • [08/17] – Por que normalmente os autônomos se esquecem do custo indireto?
  • [09/17] – Qual a maneira correta de calcular o Ad Valorem?
  • [10/17] – Qual o percentual correto deve ser utilizado no GRIS?
  • [11/17] – Tabela completa com todas as generalidades cobradas no mercado.
  • [12/17] – Como fazer o cálculo do pedágio usando mais de um formato?
  • [13/17] – A carga tributária que você paga atualmente está correta?
  • [14/17] – Qual margem de lucro devo usar no mercado de transportes?
  • [15/17] – Como colocar corretamente os ingredientes para a formação do preço do frete?
  • [16/17] – Qual é o ponto de equilíbrio de uma viagem?
  • [17/17] – Planilha de frete, que automatiza o processo de cálculo de fretes.

Se você ficou com alguma dúvida, ou tem algum comentário/sugestão, por favor coloque logo abaixo nos comentários.

Forte abraço e até o próximo artigo!
Ed Trevisan

crédito das imagens: shutterstock.com

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário