[06/17] DESVENDANDO OS MAIORES MISTÉRIOS DO CUSTO VARIÁVEL PARA VOCÊ NUNCA MAIS COBRAR O PREÇO ERRADO DO FRETE

Iveco - Custo Variável

Custo variável é definitivamente a conta que vai determinar o sucesso ou o fracasso do seu negócio de transporte rodoviário de cargas.

Sim, a diferença em olhar da forma mais consistente e completa possível para o custo variável é enorme.

E ainda assim, mesmo tendo consciência desta importância, muitos donos de transportadoras e caminhoneiros autônomos não prestam a devida atenção nesse custo.

Ao escolher olhar para esta conta todos os dias você estará tomando uma decisão que pode ter um impacto positivo imediato, além de ser a sua sustentação no longo prazo.

Se você já faz isso hoje em dia, saiba que está agindo como alguém que quer vencer nesse negócio, mas não se sinta parabenizado por enquanto.

Precisamos entender juntos aqui se o que você está fazendo está certo, e se está te trazendo as leituras corretas para enxergar possibilidade de economia e cobrança do preço justo do frete.

Agora, se você ainda não tem uma ideia exata de como fazer este cálculo, não se preocupe, pois hoje você sairá daqui com a certeza de como se deve calcular o custo variável.

No 1º artigo desta série sobre cálculo de fretes, eu publiquei uma pesquisa mostrando os itens mais importantes na opinião dos leitores, e o custo variável ficou em 1º lugar com 75% das citações.

Seja qual for a sua situação dentro do ramo de transportes, tenha em mente que o custo variável é para onde você deve destinar mais tempo de análise.

Neste artigo vamos aprender a extrair o máximo de valor deste conceito, para que você o use de forma adequada no seu negócio.

Portanto, continue lendo para saber mais sobre:

  • Quais são todos os tipos de custo variável
  • Por que você deve medir o custo variável por km rodado
  • Um exemplo de cálculo de custo variável por km rodado
  • Como reduzir o seu custo variável

Gostou do que vem por aí? Então compartilhe esse artigo com seus amigos para que todos possam aprender sobre o custo variável, e consigam o preço justo do frete.

TIPOS DE CUSTO VARIÁVEL

Tipos de Custo Variável

Saber exatamente quais são os tipos de custo variável é o primeiro grande passo na direção do seu preço correto de frete.

Todo veículo de transporte tem estes custos, independentemente de você ser um caminhoneiro autônomo ou dirigir uma transportadora.

É importante citar aqui, que estes custos variam de acordo com o quanto sua frota roda, apesar de isso parecer algo óbvio.

Então vamos lá, a seguir veja todos os custos variáveis que um veículo pode ter.

Combustível

O custo com combustível (diesel, gasolina ou álcool) é o maior entre todos os custos de um negócio de transportes.

Estima-se que 35% dos custos totais (variáveis + fixos) são representados pelos combustíveis.

Arla 32

O Arla 32 (Agente Redutor Liquido de Óxido de Nitrogênio Automotivo) chegou em 2012 e desde então é obrigatório em todos os caminhões novos.

A proporção é de 5% de consumo de Arla 32 em relação ao combustível, o que gera um custo adicional de aproximadamente 1,5% dos custos totais.

Pneus

O controle da compra de pneus novos, além das recapagens, é fundamental se você quiser calcular adequadamente os custos variáveis com pneus.

Qualquer descuido nas anotações pode colocar todo o seu controle em risco.

É importantíssimo que você tenha um controle, que pode ser eletrônico ou mesmo manual, de tudo o que acontece com os pneus da sua frota.

Outra questão importante é a marcação destes pneus, para um correto rastreamento quando necessário.

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário

Manutenção do veículo

Para você conhecer os custos com manutenção da sua frota é preciso pegar todos os gastos relacionados com a troca de peças com defeitos e desgastadas, e a mão de obra que executa a troca da peça.

Além disso, você não pode esquecer dos serviços executados sem a necessidade de novas peças, como regulagens e ajustes.

Lubrificantes

Os lubrificantes são essenciais em qualquer caminhão, e além de fazer a troca no tempo correto é preciso que você registre também estes custos.

Tanto os gastos com lubrificantes do motor quanto da transmissão precisam ser anotados, para que você possa garantir de que não está esquecendo de nada.

Lavagens e graxas

A manutenção externa dos veículos também é algo importante, e sempre que houver lavagens e lubrificação externa de cada caminhão, é preciso registrar estes gastos.

MEDINDO O CUSTO VARIÁVEL POR KM RODADO

Custo variável por km rodado

Se conhecer quais são os custos variáveis do seu negócio de transportes é importante, saber qual valor eles representam por cada km rodado do seu veículo é fundamental.

É com base nesse cálculo que você poderá cobrar adequadamente seu frete por cada viagem, apenas sabendo a distância correta de ida e volta.

É claro que o cálculo de fretes não é feito somente com o custo variável, mas sem dúvida é a parte mais importante devido à representatividade nos custos totais.

Veja nesta tabela como você pode calcular cada custo variável.

Custo variávelFrequência idealComo calcular
Combustível30 diasDivida o gasto total (em R$) pela soma de km rodados.

O resultado é quanto custa em reais cada km rodado do seu caminhão, por tipo de custo variável.

Mais abaixo faremos um exemplo prático para facilitar o entendimento.
Arla 3230 dias
PneusVida útil do pneu (com recapagens)
Manutenção12 meses
LubrificantesIntervalo entre uma troca e outra (considerando os litros usados para completar o óleo)
Lavagens e graxas30 dias

Como você pode ver na tabela, o tempo para medição dos resultados e cálculo dos custos por km rodado são importantes e também variados.

Fica difícil, por exemplo, saber o custo efetivo de pneus se você não esperar para entender a vida útil de cada um.

O mesmo acontece com os custos com lubrificantes, que podem ser calculados se você aproveitar o exato intervalo entre uma troca e outra.

Lembre-se que você não precisará fazer isso todos os meses. Se perceber que não existe muita variação nos custos entre um mês e outro, você pode fazer estes cálculos 2 a 3 vezes por ano.

Agora vamos ver um exemplo prático de como fazer o cálculo.

UM EXEMPLO PRÁTICO: CÁLCULO DE CUSTO VARIÁVEL

Exemplo de cálculo de custo variável

Vamos supor que você tenha uma carreta (cavalo mecânico com 2 eixos e um semi-reboque de 3 eixos).

Você calculou cada custo variável, de acordo com o tempo ou situação necessária, e os resultados ficaram da seguinte forma:

Combustível

Seu veículo rodou um total de 10,5 mil km por efetivamente 15 dias do mês, o que deu uma média de 700 km por dia.

O custo total com diesel neste período foi de R$ 13.430,23 (notas fiscais do posto), ou seja, 4.038 litros de óleo diesel.

Agora que você tem a distância percorrida e a quantidade de litros de óleo diesel gastos, já dá para calcular a média do veículo e também o custo por km rodado.

  • 10,5 mil km divididos por 4.038 litros de diesel = 2,60 km por litro de óleo
  • Valor do litro de óleo diesel (R$ 2,75) divididos pela média do veículo (2,60) = R$ 1,06

Ou seja, para cada km rodado por este veículo, existe um custo com combustível de R$ 1,06.

Lembrando que você deve sempre refazer o cálculo quando houver variação no preço do combustível na bomba.

Arla 32

No caso do Arla 32 vamos considerar um consumo de R$ 403,85, por um total de 200 litros gastos durante os 30 dias.

Ou seja, se o veículo rodou 10,5 mil km no mês, nós temos:

  • 10,5 mil km divididos por 200 litros = 52,5 km por litro de Arla 32
  • Valor do litro do Arla 32 (R$ 2,00) divididos pela média do veículo (52,5) = R$ 0,038.

Ou seja, para cada km rodado por este veículo, existe um custo com Arla 32 de R$ 0,038.

Lembrando que você deve sempre refazer o cálculo quando houver variação no preço deste insumo.

Pneus

Quando o assunto são os custos variáveis com pneus, você precisará de um tempo bem maior que 30 dias para o cálculo exato.

O ideal é trabalhar com toda a vida útil do pneu, conforme eu citei na tabela lá em cima.

Vamos considerar neste exemplo, que você comprou para o seu veículo todos os pneus novos, e após 12 meses você chegou nos seguintes números:

  • Aquisição ao todo de 22 pneus (4 sobressalentes): R$ 33.000,00
  • Total de 28 recapagens ou recauchutagem: R$ 12.880,00
  • Quantidade de km rodados pelo veículo nos 12 meses: 126.000 km

Com isso nós temos:

  • R$ 33.000,00 + R$ 12.880,00 = R$ 45.880,00
  • R$ 45.870,00 divididos por 126.000 km = R$ 0,364

Ou seja, para cada km rodado pelo seu veículo durante este período você gastou R$ 0,36 com pneus.

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário

Manutenção do veículo

Alguns consultores podem te dizer para usar um percentual padrão do valor do veículo, mas eu prefiro usar o seu valor real gasto, pois reflete exatamente a sua situação.

Eu sugiro que você pegue os gastos dos últimos 12 meses e divida pela km rodada pelo veículo.

Em nosso exemplo, vamos considerar um gasto de R$ 25 mil com manutenção, dividindo-se pelos 126.000 km rodados.

  • R$ 25 mil divididos por 126.000 km = R$ 0,198

Lubrificantes

No caso do óleo lubrificante é interessante você observar quanto gastou entre uma troca e outra, considerando também as remontas de óleo.

Em nosso exemplo, vamos considerar que foram gastos:

  • R$ 438,75 por 45 litros de óleo;
  • Troca após 30.000 km rodados;
  • R$ 146,25 como adicional de 15 litros em remonta de óleo.

Com isso nós temos:

  • R$ 438,75 + 146,25 divididos por 30.000 km = R$ 0,0195 (ou R$ 0,02 para facilitar).

Lavagens e graxas

Para as lavagens e graxas vamos considerar um valor de R$ 180,00 para cada 12.000 km rodados.

O ideal é que você pegue valor exato gasto com as lavagens e graxas, e divida pela km rodada do caminhão.

Neste caso de exemplo temos:

  • R$ 180,00 divididos por 12.000 km = R$ 0,015

Soma dos custos variáveis

Agora vamos entender quanto este caminhão tem de gasto por km rodado:

Tipo de custoCusto por km rodadoPercentual
CombustívelR$ 1,0662,5 %
Arla 32R$ 0,042,2 %
PneusR$ 0,3621,5 %
ManutençãoR$ 0,2011,7 %
LubrificantesR$ 0,021,2 %
Lavagens e graxasR$ 0,020,9 %
TotalR$ 1,70100%

No caso do exemplo desta carreta, para cada km rodado, o dono gastará de custo variável R$ 1,70.

E você, entendeu o cálculo?

Que tal replicar agora para a sua realidade?

COMO REDUZIR O SEU CUSTO VARIÁVEL

Como reduzir o seu custo variável

Agora que você já sabe calcular o seu custo variável, acredito que seria uma ótima ideia se pensássemos em como reduzir este custo, você concorda?

A verdade é que existem diversos aspectos que podem colaborar nesta redução, e vou ver contigo aqui alguns deles.

Os itens que certamente impactam no consumo dos custos variáveis são:

  • Qualidade da manutenção;
  • Idade do veículo;
  • Qualidade do insumo (óleo diesel, lubrificantes, pneus, etc);
  • Velocidade operacional do caminhão na estrada;
  • Tipo de piso em que o veículo roda (asfalto ou terra) (superfície plana ou acidentada);
  • Clima onde o caminhão roda (quente ou frio) (úmido ou seco);
  • Peso da carga transportada.

Se você olhar para cada uma delas, talvez poderá encontrar oportunidades de melhoria e diminuição do consumo.

Além disso, é fundamental que você olhe para os dois custos variáveis mais importantes:

Combustível

  • Tenha controles do consumo de óleo diesel, e acompanhe sempre estes números com os motoristas;
  • Procure realizar treinamentos e premiações de motoristas;
  • Não deixe de fazer a regulagem do motor, bomba e bicos;
  • Faça sempre a manutenção da pressão dos pneus;
  • Se possível, faça uso de acessórios, como defletor de ar e tanques suplementares;
  • Evite sobrecargas.

Pneus

  • Mantenha sempre a pressão correta;
  • Faça rodízio periódico para uniformizar o desgaste;
  • Procure alinhar e balancear as rodas, além de regular freios e “casar” bem os pneus;
  • Não deixe pneus desgastados nos eixos de tração e direcionais;
  • Faça a ressulcagem em pneus novos.

CONCLUSÃO: CUSTO VARIÁVEL EM TRANSPORTE DE CARGAS

Custo variável em transportes

Sim, você pode saber tudo sobre custo variável no seu negócio de transporte de cargas.

Sim, uma vez que você dominou os números, será possível:

  • Reduzir estes custos operacionais;
  • Entender exatamente quanto cobrar de frete do seu cliente;
  • Saber em minutos se determinado frete oferecido é viável ou não.

Mas como vimos, você precisará usar algum tempo levantando no detalhe todos os seus custos variáveis, para poder fazer o cálculo corretamente.

O passo de conhecer no detalhe os seus custos variáveis é importantíssimo para que você saiba exatamente como fazer o cálculo de fretes.

Aproveite, agora que você já sabe como calcular o seu custo variável, e junte esse conhecimento com o cálculo dos custos fixos.

Saber com profundidade estes dois tipos de custo direto começa a te credenciar para ser um expert em custos de transporte rodoviário de cargas 😉

Espero que esse artigo tenha contribuído no seu conhecimento, e possa te ajudar no dia a dia.

Deixe por favor seu comentário a respeito, logo abaixo!

Forte abraço.

Ed Trevisan

  • Prof Julio Cesar Passos

    Excelente artigo com passo a passo de cálculo do custo variável e dicas de economia. Parabéns

    • Olá Julio, tudo bem?
      Obrigado pelo seu feedback, ele é fundamental pra mim e me motiva a continuar este projeto. Grande abraço.

  • Edimar Ferreira Camila Viana

    Parabens Trevisan sou motorista da trans pra frente brasil ,trabalho com o cavalo.do gerente Paulo.Chimilouski hoje tava sem sono e passei a madrugada leno seus artigos de economia no transporte ,faz 10 anos que to trabalhano no transportes e nao tinha ideia de como era feitos esses calculos ,isso nos ajuda ate reinvidicar um salario melhor rsrsr,tabem li os artigos de como agregar um caminha pois tenho vontade de adquirir um veiculo para mim foi de grande ajuda ,descupa os erros de portugues faz anos que nao escrevo um texto

    • Olá Edimar, tudo bem contigo?
      Fico muito feliz que os artigos tenham sido úteis pra você, só o fato de você ficar a madrugada lendo já te faz um profissional diferenciado, parabéns.
      Não se preocupe com o português não, rs, está muito bom, além disso sua participação é muito importante pra mim aqui no site, obrigado por isso.
      Abraço! Ed.