[04/17] CUSTO DE OPORTUNIDADE: QUAL A IMPORTÂNCIA E POR QUE VOCÊ NÃO PODE IGNORÁ-LO

Custo de Oportunidade - Porque você não deve ignorá-lo

Custo de oportunidade é um item essencial e precisa estar no seu radar, caso você deseje entender se realmente está utilizando os seus recursos da forma correta.

Se você nunca olhou para este conceito, então chegou a hora de entender isso!

Dentro da nossa série sobre cálculo de fretes, o custo de oportunidade precisa estar embutido no valor do frete cobrado do cliente, porque representa um investimento que você fez na sua frota.

Porém, o custo de oportunidade não representa apenas uma remuneração de capital, é um conceito muito mais amplo, e que pode ser utilizado de várias formas dentro e fora do seu negócio.

Se você pensar bem, vai perceber que na vida tudo tem um custo, que pode ser:

  • Dinheiro;
  • Tempo;
  • Saúde;
  • Emocional;
  • Família.

E infelizmente não podemos ter tudo isso ao mesmo tempo, é preciso escolher uma para cada situação e renunciar à todas as outras.

É claro que em muitas vezes você até consegue conciliar alguma delas, mas certamente você nunca conseguirá ficar com todas as opções.

Dentro da sua empresa não é diferente, quando você decide usar o seu rico dinheiro na compra de um veículo novo, você está renunciando a todas as outras possibilidades que aquele dinheiro teria de rentabilizar.

Portanto, se você quer saber de que forma é possível aplicar esse conceito no seu negócio e na sua vida, continue lendo este artigo.

Nele você vai aprender mais sobre:

  • Capital próprio x Financiamentos
  • Qual taxa utilizar
  • Como fazer o cálculo do custo de oportunidade por mês da sua frota
  • O custo de oportunidade da sede da sua transportadora
  • O uso do seu tempo nas atividades e o custo de oportunidade

Gostou do que vem por aí? Então compartilhe esse artigo com seus amigos para que todos possam aprender sobre o custo de oportunidade, seja nos negócios ou na vida pessoal.

CAPITAL PRÓPRIO vs FINANCIAMENTOS

Capital próprio versus Financiamentos

Ao adquirir um veículo novo para sua empresa, você tem a opção de:

  • Comprar à vista;
  • Comprar em poucas parcelas, talvez sem pagar juros;
  • Comprar através de consórcio;
  • Comprar através de financiamento.

Na opção de comprar financiado, você sabe que pagará juros por essa aquisição, não tem choro, e mesmo no consórcio você pagará uma taxa de administração.

Então, com base nisso, eu te pergunto:

  • Se você calcula a depreciação de veículos, quem paga a conta dos juros no caso de financiamento?
  • Caso você tenha comprado o veículo à vista, será que é justo não calcular a remuneração desse capital?

É aí que entra o custo de oportunidade, quando o banco te empresta o dinheiro para comprar um bem, o custo de oportunidade dele são os juros cobrados de você.

Então, da mesma forma, se o dinheiro é seu e não do banco, é justo que você também faça esse cálculo dos juros que receberia, e inclua isso no cálculo de fretes.

Ou seja, o custo de oportunidade sempre deverá ser embutido no preço do frete, a diferença é como você vai calculá-lo, se o bem foi adquirido em um:

  • Consórcio: pode ser a taxa de administração cobrada de você;
  • Financiamento: podem ser os juros cobrados mais as taxas agregadas;
  • Capital próprio: você pode escolher alguma taxa de aplicação financeira.

QUAL TAXA UTILIZAR

Qual taxa utilizar

Dentro do ramo de transporte rodoviário de cargas existem vários temas sobre como calcular a remuneração de capital próprio, e vou te mostrar aqui alguns deles.

ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres

Considera uma taxa de 12% ao ano, aplicados sobre o valor teórico médio do investimento. Importante ressaltar que esse estudo é antigo, e pode ter sofrido alterações nos valores.

GEIPOT – Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes

Este órgão do Ministério dos Transportes foi extinto, mas mantém uma página com informações sobre o cálculo da remuneração de capital, que você pode conferir aqui.

Ah, a taxa sugerida por eles também é de 12% ao ano, aplicados sobre o valor médio teórico do veículo.

NTC – Associação Nacional de Transporte de Carga e Logística

A NTC, representante das empresas no setor de transporte rodoviário, sugere uma fórmula que você pode conhecer clicando aqui, mas não diz que taxa utilizar.

A sugestão do Frete com Lucro

Trabalhar com uma taxa de 12% ao ano pode ser uma referência, mas a verdade é que não representa de fato o que está acontecendo ano a ano, e mês a mês na economia.

Por este motivo, nós sugerimos que você use dois indicadores para descobrir a sua taxa ideal:

  • Taxa Selic: considerada a taxa básica de juros para financiamentos na economia brasileira, veja tabela aqui;
  • Taxa de Poupança: a inflação corrói o nosso dinheiro, por isso é interessante que você use essa tabela de taxas da poupança para, ao menos, equiparar o valor do investimento.

Vamos falar mais à frente como você pode usar estas taxas no seu cálculo do custo de oportunidade.

COMO FAZER O CÁLCULO DO CUSTO DE OPORTUNIDADE POR MÊS DA SUA FROTA

Como Fazer O Cálculo Do Custo De Oportunidade Por Mês Da Sua Frota

O cálculo do custo de oportunidade pode ser relativamente simples, mesmo assim é muito importante que você tome alguns cuidados, para que no fim tudo saia conforme o previsto.

Por isso, vou te mostrar um método mais completo, que retirei integralmente do site da Rafaela Campos Benatti, do Blog Desafios da Logística:

Custo Médio Mensal

  • Pmr – Parcela por mês da remuneração do capital investido
  • R – Coeficiente aplicável ao valor do veículo novo (VN)
  • J – Taxa de juro anual (considerar 15% ao ano)
  • n – Vida útil em anos
  • K – Índice de revenda do veículo = VR / VN
  • VN – Valor do veículo novo
  • Valor do coeficiente aplicável ao preço do veículo,

R = {[(2 + (n – 1)) * (K+1)] / (24*n)} * j

Valor da parcela mensal da remuneração,

Pmr = {[(2 + (n – 1)) *(K+1)] / (24*n)} * j *VN

Exemplo: Valor de um Veículo Novo Scania (VN) = R$ 348.078,00

(Com base em preços de mercado, estima-se um valor percentual de 60% sobre o preço do veículo novo, para o valor do veículo com 6 anos de uso (em frota de serviço), sendo assim K = 0,60 e n = 6).

Tomando os valores do exemplo:

R = {[(2 + (6 – 1)) * (0,60 + 1)] / (24*6)} * 0,15
R = 0,0117 (Valor do Coeficiente)
Pmr = R * VN
Pmr = 0,0117 * 348.078,00
Pmr = R$ 4.060,91 (Valor mensal da parcela de Remuneração do Capital).

Agora vamos a um exemplo mais simples (que eu prefiro), com uma planilha em Excel para te ajudar no cálculo.

Basta você seguir estas orientações do Fernando Sobral, do Interlogis.

A fórmula é a seguinte:

Fórmula - Custo de Oportunidade

E para usá-la facilmente clique no botão abaixo e baixe agora a planilha feita pela Interlogis.

Planilha de Cálculo de Frete Rodoviário

O CUSTO DE OPORTUNIDADE DA SEDE DA SUA TRANSPORTADORA

Sede da Sua Transportadora

Estamos aqui falando de custo de oportunidade, e muita gente não percebe um fator, que na minha opinião, é de extrema importância.

Como é a sede da sua empresa, própria ou alugada?

Se a resposta for alugada, então você sabe que todo mês tem um custo fixo a pagar, e olha que é um custo bem importante devido ao alto valor mensal.

Agora, se a sua resposta for própria, então queria que você refletisse se algum custo é apropriado mensalmente com relação a esse imóvel.

Você já imaginou que, se não tivesse a sua empresa usando este imóvel, você poderia lucrar alugando para outra empresa? Ou mesmo vender o imóvel e usar o recurso em um novo investimento?

Esse é o custo de oportunidade que você precisa medir, se hoje o seu imóvel está sendo usado por um empreendimento seu, nada mais justo que este empreendimento “pague” por isto.

O que você acha? Faz sentido para você esta visão?

Coloque lá embaixo a sua opinião 😉

USO DO SEU TEMPO NAS ATIVIDADES E O CUSTO DE OPORTUNIDADE

Uso do tempo nas atividades

Tempo é um bem muito, muito precioso!

Esta frase é interessante, mas ela não te revela qual tempo é precioso, porque a única pessoa que sabe disso é você mesmo.

O seu tempo é precioso para você, e é preciso saber como usá-lo todos os dias.

Toda vez que você decide fazer algo, está automaticamente renunciando fazer outra coisa, e o custo desta oportunidade pode muitas vezes ser medido.

Imagine, por exemplo, que você precise criar indicadores de desempenho para seu negócio, e que precisará de um bom tempo para isso.

Supondo que você ganhe R$ 8 mil por mês, e que o tempo necessário para fazer essas planilhas seja de 20 horas.

  • R$ 8 mil divididos por 22 dias úteis no mês = R$ 363,64 por dia
  • R$ 363,64 divididos por 8 horas de trabalho = R$ 45,45 por hora
  • R$ 45,45 vezes 20 horas = R$ 909,00

O que você faria se soubesse que pode comprar essas planilhas prontas por pouco mais de 20% do valor do seu tempo?

Esse é o custo de oportunidade, saber onde e quando alocar o seu tempo de uma forma extremamente produtiva.

Caso você tenha gostado da ideia das planilhas, com indicadores de desempenho logístico, clique aqui.

CONCLUSÃO: CUSTO DE OPORTUNIDADE

Conclusão: custo de oportunidade

Ter em mente que toda decisão sua acaba gerando uma renúncia para outras opções pode ser sufocante, não é mesmo?

Não se preocupe em acertar todas, mas ao menos tente medir o custo das outras oportunidades que aparecem à sua porta todos os dias.

Trazendo o assunto para a nossa série sobre cálculo de fretes, lembre-se que o capital já está investido na frota, seja ela de propriedade do banco (por enquanto), ou sua mesmo.

Por isso, não deixe de calcular com detalhes o custo de oportunidade do dinheiro investido no seu negócio, e tente embutir este custo na sua planilha de fretes.

Aproveite, e não deixe de ver os demais artigos da série sobre cálculo de fretes:

Série: Cálculo de fretes

  • [01/17] – Como fazer o cálculo de fretes sem perder dinheiro.
  • [02/17] – Por que você pode perder dinheiro se não calcular a cubagem?
  • [03/17] – 7 motivos para você considerar a depreciação no seu cálculo de fretes.
  • [04/17] – Por que o custo de oportunidade não pode ficar de fora da sua planilha?
  • [05/17] – Como calcular seus custos fixos por dia?
  • [06/17] – Quais as vantagens de saber o custo variável por km rodado?
  • [07/17] – 7 fatos que talvez você não saiba sobre custo direto.
  • [08/17] – Por que normalmente os autônomos se esquecem do custo indireto?
  • [09/17] – Qual a maneira correta de calcular o Ad Valorem?
  • [10/17] – Qual o percentual correto deve ser utilizado no GRIS?
  • [11/17] – Tabela completa com todas as generalidades cobradas no mercado.
  • [12/17] – Como fazer o cálculo do pedágio usando mais de um formato?
  • [13/17] – A carga tributária que você paga atualmente está correta?
  • [14/17] – Qual margem de lucro devo usar no mercado de transportes?
  • [15/17] – Como colocar corretamente os ingredientes para a formação do preço do frete?
  • [16/17] – Qual é o ponto de equilíbrio de uma viagem?
  • [17/17] – Planilha de frete, que automatiza o processo de cálculo de fretes.

Se você ficou com alguma dúvida, ou tem algum comentário/sugestão, por favor coloque logo abaixo nos comentários.

Forte abraço e até o próximo artigo!
Ed Trevisan

crédito das imagens: shutterstock.com

  • Saulo

    Bom dia Ed

    Tenho feito leitura sobre os assuntos que você discorre no site, é bem bacana, e com tantas avaliações que você apresenta, gostaria de saber o seguinte:
    Na atual conjuntura econômica é viável comprar um caminhão carreta com tanque inox/boton, e agregar a algum lugar para obter retorno, ou, disponibilizar autonomamente nos sites que contratam este tipo de frete ? Quais as vantagens e desvantagens(resultados) ou não muda muita coisa, pois, eu seria um investidor ?
    Como poderia avaliar o retorno deste tipo de investimento, e em média qual prazo, sabendo que não sou especialista neste mercado/segmento ?
    A equação é a mesma que uma empresa comum..Retorno= ganho – investimento / investimento.
    Pode dar uma explanação sobre este assunto, ou se já tem um artigo pode encaminhar o link.
    Agradeço a gentileza se puder dar alguns esclarecimentos.

    Saulo

    • Boa tarde !

      A aquisição de um conjunto tendo como diferencial um tanque inox
      deve ser muito estudada em razão de varios fatores quer sejam :

      1) Investimento :

      Sem dúvida é bem maior do que um conjunto comum além de ficar limitado a certos tipos de cargas em função do tanque inox ( para que não o contamine e elimine a possibilidade de realizar serviços especificos ).

      Nesses tipos de transportes muitos usuarios estão exigindo que o equipamento tenha no maximo 5 anos de uso o que te obriga a adquirir e consequentemente ter capital de giro para a renovação nesse prazo ;

      2) A operação :

      É absolutmente importante que ANTES de realizar o investimento já tenha um contrato ou promessa REAL de serviço pois a falta de programação e ociosidade só fará aumentar a defasagem entre o investimento e o retorno esperado.

      A contratação de um PROFISSIONAL de absoluta confiança ,profissionalismo ; aliado a cursos de habilitação para transporte de produtos perigosos e referencias atualizadas das Empresas em que trabalhou e comerciais é fundamental para que não seja recusado para o carregamento ;

      3) O retorno do investimento :

      Com certeza será mas lento do que com um equipamento normal ( que é esperado a partir do terceiro ano )e
      que nao exija atualização em tempo inferior de 120 meses . Isso sem contar a necessidade de manutenções preventivas mais exigentes e mais caras .

      CONCLUSÃO :

      Todo negócio é bom quando se consegue obter garantias de utilização máxima inclusive mantendo sempre atualizado aos números e de um planejamento com opções de correções .

      Tudo vai depender da negociação comercial que realizar com o usuário pois ficar autonomamente buscando cargas não é um bom negócio !

      Para uma análise personalizada sugiro que desenvolva um planejamento estratégico
      do negócio pois assim sendo terá possibilidades de analisar o investimento e idealizar o ganho !

      Conte conosco caso necessite de mais detalhes .

      Cordialmente

      José Maria

      • Saulo

        Bom dia José Maria
        Obrigado pelos esclarecimentos, pensei num primeiro momento que com este tipo de carreta, sendo teoricamente mais especializado, o retorno poderia ser maior que os demais segmentos, mas vamos repensar.
        Acredito que haja empresas que aceitem agregar somente o caminhão/cavalo, é um investimento um pouco menor e haverá amplas possibilidades, mas poderia rodar mais, ter mais manutenção, maior consumo.
        Atualmente pela experiência de vocês qual segmento de atuação seria interessante para um investidor apreciando custo X benefício.
        Obrigado

        • Bom dia !
          A opção de agregar um cavalo mecânico em uma carreta de Empresa e boa porém tem de analisar se te dão garantia de serviço pois ficara exclusivo da Empresa…
          Como esta iniciando e quer apenas ser um investidor o interessante seria agregar um conjunto com uma carreta sider e ficar realizando transferencias em uma rota fixa… o faturamento é menor porem tem serviço todo dia de ida e de volta !

          • Saulo

            José Maria agradeço à você e ao Ed pela atenção dispensada, me parece interessante se conseguir uma empresa boa para agregar, agora é momento de por no papel, fazer contas, sendo viável, seguir em frente..obrigado

    • Olá Saulo, tudo bem?

      Meu parceiro Zé Maria deu uma boa explanação sobre o tema, e eu gostaria de contribuir te dizendo o seguinte:

      Sem dúvida a equação é parecida com a de uma empresa comum, você precisa certamente avaliar o investimento / retorno, perceber se o custo desta oportunidade é realmente válido.

      Por causa da depreciação do bem, é preciso avaliar o retorno. Acredito que 5 anos seja um prazo de razoável para máximo, para que você tenha retorno.

      Fazendo seus cálculos, e me acompanhando aqui no blog, você será capaz de chegar nestes números.

      Espero ter te ajudado.
      Forte abraço!

      • Saulo

        Bom dia Ed
        Obrigado pela atenção, postei mais uma questão/dúvida/auxílio para o José Maria..