[ENTREVISTA] SAIBA QUAL CARROCERIA ESCOLHER NA HORA DA COMPRA, E EVITE PAGAR MICO!

Programa Na Estrada - Rádio Bandeirantes

Ana Nery: E hoje aqui no programa vamos falar sobre melhor implemento para o caminhoneiro, nós estamos na linha com o caminhoneiro, também produtor do Vlog 8 Rodas, o Cristiano Antônio Bueno, que vai esclarecer alguns pontos em relação a esses implementos. Tudo bem Cristiano como vai?

Cristiano: Tudo bem Ana, graças a Deus tudo ótimo.

Ana Nery: Antes da gente falar qual é o melhor, pra que caso cada um é o melhor, eu queria que você, primeiramente desse o perfil do baú, e depois da carroceria.

Cristiano: Certo, no meu canal sempre pessoas perguntam:

Ah, qual é melhor: carroceria ou baú?

Isso está diretamente ligado aos tipos de clientela que você vai atender ta, em algumas regiões obviamente que um caminhão com carroceria aberta é melhor, pra você carregar carga paletizada, você entra no sider que você não vai ter a necessidade de enlonar a carga.

E você tem acesso muito rápido pelas laterais do caminhão, e por conta disso eu gosto de pesquisar bastante, e aí hoje com as ferramentas que tem na mão e a internet, você vai você viaja o mundo sem sair de casa praticamente ou no seu smartphone que seja, caso seja isso.

Carroceria, dando uma pesquisada no mercado, eu descobri que existem fabricantes aqui no Brasil que oferecem carrocerias 100% em alumínio, eu sempre me questionei, que já tinha visto que você procura carrocerias em outros lugares, você vai ao Japão, por exemplo, você nota que você usa maciçamente o alumínio

Eu imagino que pela questão de custo de investimento inicial, por ser muito mais caro, eu andei dando uma pesquisada, por exemplo, um veículo hoje que está em grandes centros como São Paulo que faz uso muito de caminhonete, você vai comprar uma carroceria hoje se você vai comprar ela em madeira, você vai pagar uma faixa média de R$ 4.000,00.

Esse mesmo implemento, você compra por R$ 12.000,00 ele 100% alumínio, mas por outro lado uma carroceria de uma Iveco Daily você consegue ela com peso total dela em 180 Kg, ou seja, quatro homens pegam ela, desparafusa do chassi e consegue colocar.

Quanto ao baú eu acho que o mercado a gente vê, tenho notado com anos, estou desde 92 no transporte, o produto é similar em todas as marcas existem algumas marcas mais regionais, o produto fica um produto mais “Taylor made”.

Se você pede para o dono para o empresário mudar a carroceria, e colocar dentro do seu perfil com algumas mudanças em medidas ou na questão do assoalho dela, até na coluna da Iveco eu abordei são três tipos de assoalho que você no mercado, você tem:

  • o naval;
  • madeira maciça, que o ultimo implemento meu é com madeira maciça e você tem a;
  • chapa de aço.

Esse último pra quem, como eu faz mudanças, eu acho que ele não é adequado, mas por outro lado se você vai precisar de ter o trânsito dentro do furgão, te permite até mesmo empilhadeira entrar dentro do seu caminhão, um implemento pesado mais o pallet, o cara consegue movimentar dentro do caminhão.

Nas laterais você vê vários tipos, existe um tipo que não é tão comum eu imagino, não procurei pesquisar preços, que é um que ele é totalmente fechado a lateral, e você tem alguns pontos de encaixe que você vai encostar toda carga na frente do caminhão, e você vai travando ela.

É só uma travessa que você trava a carga na frente, no caso para mudança, eu acho que esse tipo de furgão ele não é tão útil, o tradicional que a gente tem aqui no Brasil com travessas em sarrafos de madeira, e algumas das travessas em vergalhão de aço, algumas marcas usam tubos oblongos, apesar da leveza eu acho meio assim chato de você prender cintas catracas.

Por exemplo, mas quando você faz só uso de cordas, até lembrando que hoje existe uma mudança na legislação principalmente para carga aberta, a fixação de carga hoje é exigido o uso de cantoneira.

Houve uma mudança na legislação quanto a ancoragem de carga pessoal aí que está entrando no mercado ou já está no mercado e ainda não viu isso aí procura a saber, que a fiscalização em breve vai estar “pegando no pé” do pessoal que não tiver amarrando sua carga de acordo com a lei.

Carroceria

Ana Nery: Em relação à carroceria você tinha dito ai R$ 4 mil mais ou menos de madeira e R$ 12 mil a 100% alumínio, em relação ao preço dos materiais diferentes de baú Cristiano, você chegou a pesquisar?

Cristiano: Olha, no mercado hoje você tem um baú que é a base dele é feita em aço, o chassi, as longarinas de travessa, é em aço, aí depois você tem o quadro dele em alumínio, alguns fabricantes até fazem em chapa de aço e usa menos alumínio, eu imagino que seja pra diminuir custo.

O alumínio deveria ser usado maciçamente até na questão de aproveitamento no final da vida útil do produto, você tem um valor agregado maior o alumínio é mais caro e existe hoje um outro material que agora não me recordo o nome que é feito numa placa só.

Ele traz um bom isolamento, eu particularmente foi pesquisando na internet que eu vi isso ai acho que é Capla o nome dela e ai eles estão hoje oferecendo muito o food truck, ele é extremamente higiênico você vê que o resultado final é muito bom, eu até gostaria de conhecer um tipo de produto desse ai.

A proposta dele é produto leve, um produto pra deixar o isolamento acústico e térmico do baú, e o fato dele não ter quase emendas, só tem emendas nos cantos deles e mais nada, porque você faz as laterais totais do baú em uma peça só, pelo que eu vi lá.

Ana Nery: Em relação à manutenção Cristiano, tanto da carroceria ou do baú?

Cristiano: Olha, a manutenção é o seguinte tudo tem desgaste, se você tem um baú com assoalho de madeira maciça ele, a madeira tende a secar e abrir.

Se você não toma cuidado quando você movimenta algum tipo de carga, fatalmente quem trabalha sabe, nem sempre é possível você usar um carrinho algumas coisas você tem que realmente arrastar dentro do baú.

Se você tem um baú que tem uma chapa é em compensado naval, ele é um pouco mais frágil, com a excelente vantagem de ser liso, praticamente se a empresa que montou o furgão, ela tomou cuidado em encabeçar todas as placas, e deixou elas bem travadinhas sobre o assoalho, você vai ter a vantagem dela ser lisa e não enroscar nada.

Por exemplo, você precisa arrastar um armário no caso de uma mudança, ele vai deslizar até o fundo lá, aí você tem um limite de altura, muitas vezes algumas movimentações de cargas não é possível você usar uma ferramenta, como um carrinho, por exemplo.

Se você pega o fabricante de furgão, você tem três tipos, você tem o pequeno que ele consegue ser mais flexível na hora de te oferecer um produto, ele faz conforme você precisa e você tem o grande fabricante que tem um produto já de prateleira, tem os grandes fabricantes aí no Brasil, algumas marcas que te oferecem um furgão pronto.

Eu particularmente me decepcionei com alguns desses grandes ta, poderiam melhorar em uma questão de acabamento, um produto um pouco mais resistente, como eu havia falado um uso maior de um material mais nobres.

Encarece um pouco o produto? Sim, mas raramente eu vejo pela seguinte ótica, no Brasil nos pagamos caro no produto se comparamos o que se vende fora do Brasil.

Por outro lado, ninguém compra um caminhão à vista, você financia normalmente a implementação ela ta inclusa então eu vejo que muitos por questão financeira ou ate mesmo por não atentar a isso, a longo prazo acho que você pagaria essa diferença aí.

O fabricante deveria oferecer os dois produtos, tenho aqui com baixo investimento inicial, porém eu tenho esse outro alto investimento inicial, e você consegue aumentar o volume de carga que você carrega, maior peso por ter um implemento mais leve.

CONTEÚDO VIP

Coloque seu e-mail abaixo para receber gratuitamente atualizações, artigos e dicas.

Existem soluções, por exemplo, você tem no Japão uma carroceria fechada que ela comporta um baú que se comporta uma carroceria aberta.

Tem a tampa traseira como nos conhecemos de correr, ou de abrir duas folhas, e nas laterais do baú ele tem tampa de carroceria, entendeu?

E tem as laterais do baú ela levanta como asa de gaivota, isso com acionamento totalmente elétrico.

Na Europa tem produtos semelhantes ao invés deles usarem alumínio, chapas de alumínio no baú, quando o baú é um baú carga seca, no caso, que a gente ta frisando aqui, coloca praticamente igual a um sider você tem lonas dos lados só que eles fazem da tampa como carroceria pra dar mais segurança a carga.

Fugindo um pouquinho do assunto baú você vê o uso extensivo de suspensão a ar nos caminhões, você tem regulagem de altura, mercado brasileiro ele é bem característico.

Ana Nery: É verdade, e você pesquisou bastante sobre, tanto baú quando a carroceria, você explicou no início do nosso bate papo de que é claro, o implemento melhor é aquele se adéqua a necessidade do transportador e antes da gente encerrar Cristiano.

Gostaria que você desse uma orientação ao caminhoneiro que está ouvindo aqui a Rádio Bandeirantes, como é que ele deve pesquisar, qual o melhor tipo de pesquisa pra que ele encontre o produto adequado pra ele?

Cristiano: Bom a primeira coisa que ele precisa ver no implemento é procurar informações, se você vai usar um, por exemplo, você tem caminhão que precisa de carroceria de carga aberta, hoje eu fiquei maravilhado com a carroceria de alumínio, eu se fosse comprar hoje um caminhão e implementar ele com carroceria aberta pra atender alguns clientes meus eu colocaria uma carroceria de alumínio.

Sem sombra de dúvida, menor peso, durabilidade, beleza no caminhão né, pra você ter uma ideia hoje nos caminhões com quarto eixo nós vemos o caminhão Premium no mercado é o Scania, a serie T.

Só que é um caminhão pesado, se você comparar com outras marcas na implementação você consegue tirar essa diferença que ele tem de capacidade a menos por conta da tara alta.

O amigo que vai comprar o furgão procure informações, olhe o quando mais alumínio usar melhor a vedação do baú é muito importante para não entrar poeira e proteger a carga, porque eu acho que aquele que quer estar sempre presente no mercado e demais clientes, mesmo sendo pequeno transportador, ele precisa oferecer qualidade entendeu.

Um bom trato, as vezes nos caminhoneiros somos mal vistos no mercado, por conta de alguns maus exemplos a maioria faz o serviço certo ne, mas eu acho que nos temos que primar pela boa educação e bom trato ao cliente tanto quem está de dando a carga quando para o cliente final, e nesse contexto um bom equipamento é primordial pra você atender uma boa ferramenta uma ferramenta apresentável.

Vendo o baú como uma beleza, como ferramenta útil que traga vantagens pra você, capacidade de carga no caso de uso de alumínio, como eu gostei muito disso aí e fora do Brasil é muito usado eu acho que os fabricantes poderiam diminuir suas margens de lucros, os nossos governantes poderiam diminuir a carga tributária sobre alguns tipos de produtos, para melhorar a qualidade do transporte.

Diminuir toda a logística e custo logístico que o nosso país tem e que nos sabemos que é alta por conta as vezes de equipamentos precários, estradas e coisas e tal que vocês sempre tão, eu acompanho o programa na rádio sempre que eu posso.

E tenho certeza que vocês adoram ver um assunto estrada ruim, a qualidade de vida na estrada, então acho que uma boa ferramenta vai te trazer ótima solução e ganho no final entendeu, mesmo com investimento inicial maior, lembre-se que você sempre compra a prazo, você joga dentro do financiamento e vê a diferença no final de uma prestação as vezes é mínima e vai te trazer resultado muito maiores.

Ana Nery: É verdade, bom o Cristiano vai voltar aqui pra bater papo com a gente no Na Estrada sobre outros assuntos do trabalho do dia a dia no trecho. Cristiano muito obrigado pela atenção viu tudo de bom e uma ótima viagem pra você.

Cristiano: Muito obrigado Ana.

CONTEÚDO VIP

Coloque seu e-mail abaixo para receber gratuitamente atualizações, artigos e dicas.


O programa Na Estrada, transmitido pela Rádio Bandeirantes e apresentado pela Ana Nery, vai ao ar às 5h da manhã, de 2ª a 6ª feira, em São Paulo, pelas rádios AM 840 e FM 90,9.

Você também pode ouvir o programa de qualquer lugar do Brasil e do mundo, baixando o aplicativo para celulares Android ou na Apple Store.

Quer ouvir o áudio completo desta entrevista? É só dar o play logo abaixo 😉