[04/19] COMO USAR A ARMAZENAGEM COMO VANTAGEM COMPETITIVA NA CARGA FRACIONADA, E QUANTO COBRAR PELO SERVIÇO

Armazenagem

Armazenagem e distribuição são tão importantes para um embarcador (indústria, atacadista) quanto os rins são para o corpo humano.

Pode não ser o coração da empresa, órgão mais importante do nosso corpo, porém sem estas áreas funcionando adequadamente, a empresa pode morrer no médio e longo prazo.

E talvez você possa se perguntar neste momento:

Ok Ed, mas o que isso tem a ver com a carga fracionada, tema desta série de artigos?

A verdade é que ambos os temas, armazenagem e carga fracionada, têm tudo a ver um com o outro.

Claro que é possível fazer o transporte de carga fracionada sem armazenagem, valendo-se simplesmente do cross docking, porém você precisa enxergar além.

Se você atua, ou pretende atuar com transporte de cargas fracionadas, saiba que entender exatamente como funciona a armazenagem num embarcador pode ser uma grande vantagem competitiva.

Imagine que este seu possível cliente pode ter uma série de problemas atualmente, que vão desde a falta de espaço para estoque de produtos acabados, até a impossibilidade de distribuição em algumas regiões do Brasil.

E é aí que entra uma empresa de transporte rodoviário de cargas fracionadas, com visão estratégica. É aí que entra você 😉

Portanto, se você quer dominar a arte de vender fretes de cargas fracionadas, com o foco em realmente resolver o problema do cliente, continue lendo este artigo. Nele vamos falar sobre:

  1. O que é de fato armazenagem, e quais são os tipos existentes no mercado
  2. Como dimensionar corretamente o seu espaço de armazenagem, para não gastar dinheiro à toa
  3. Como escolher o local correto para ter armazenagem no seu negócio
  4. Quanto custa montar uma operação com armazenagem
  5. Quais operações (ramos) mais comuns no fracionado, que dependem de armazenagem
  6. Como e quando cobrar do seu cliente pela armazenagem

Gostou do que vem por aí? Então compartilhe esse post com seus amigos para que mais e mais pessoas entendam o que é armazenagem, e a importância do seu uso na operação de carga fracionada.

CONCEITO E TIPOS DE ARMAZENAGEM

Conceito e Tipos de Armazenagem

O tema armazenagem é bastante amplo, e pode acontecer tanto na entrada de matéria-prima na empresa, conhecido como inbound, quanto na parte final, já com o produto acabado na outra ponta, ou seja, outbound.

Porém, é praxe de mercado dizer que a parte inicial do processo, ou seja, a guarda de matérias-primas, seja entendida como estocagem.

Ou seja, chamamos de estocagem o local onde ficam todos os materiais necessários à fábrica para produzir os produtos acabados.

Uma vez prontos, estes produtos acabados irão para armazenagem, que pode ocorrer num único local, mas normalmente são distribuídos em várias regiões por questões estratégicas.

E são estas questões estratégicas do embarcador, do ponto de vista logístico, que mais podem te interessar.

Imagine, por exemplo, que uma indústria tem necessidade de pequenos centros de distribuição por várias regiões do país, e que sua empresa poderia ser um destes centros.

Veja alguns exemplos de armazenagem, que podem ocorrer num embarcador:

  • Seca: materiais e produtos acabados soltos, empilhados em caixas
  • Paletizada: armazenagem padronizada de produtos acabados
  • Refrigerada: custos mais altos com infraestrutura
  • Big bags: contentores de produto a granel, normalmente de 1 tonelada
  • Silos: armazenagem a granel
  • Tanque: recipientes para armazenagem de líquidos

Além disso, podem ocorrer vários tipos de armazenagem, dependendo do tipo de demanda dos clientes, tais como:

  • Permanente ou regular: produtos com ciclo de vida longo, como por exemplo Coca-Cola
  • Sazonal: produtos que vendem apenas numa época do ano, como por exemplo ovos de páscoa
  • Irregular: nunca se sabe ao certo a demanda, exemplo disso é o e-commerce
  • Em declínio: produtos que, com planejamento, vão sendo retirados do mercado
  • Derivada: com base na previsão de vendas de um produto, é possível determinar a demanda de outro, como exemplo podem ser pneus de um novo carro a ser lançado.

Se você estudar o mercado, vai perceber que a armazenagem está muito mais relacionada ao transporte lotação do que o fracionado.

O motivo é bem simples, no lotação (lota o veículo com carga) normalmente o serviço é dedicado a um único cliente, e por isso é mais fácil fazer uma coleta única em um armazém.

Mas isso não impede que se trabalhe com carga fracionada e armazenagem, apenas torna o trabalho mais desafiador, e por consequência com maiores chances de rentabilidade.

Por fim, é interessante entender que muitas vezes a armazenagem de um embarcador precisa ser feita por zona, ou seja, distribuída geograficamente, de uma forma que garanta vantagem competitiva em relação à concorrência.

COMO DIMENSIONAR A SUA ARMAZENAGEM

Como dimensionar o espaço de armazenagem

Agora que você entendeu os tipos existentes no mercado, talvez esteja pensando em como poderia atuar, de uma forma que agregasse valor ao seu cliente, não é mesmo?

É fundamental que, antes de pensar em dimensionar um espaço de armazenagem para sua empresa de transporte de cargas, você pense primeiro na estratégia que vai adotar.

E por adotar uma estratégia, eu quero dizer o tipo de cliente e ramo de carga fracionada que você pretende atuar.

A verdade é que fica difícil pensar em qualquer coisa sem antes conhecer a operação deste cliente.

O ideal é atender o cliente com coletas e entregas, e ao entender exatamente como funciona a operação, pensar em como poderia agregar valor oferecendo o serviço de armazenagem.

Você pode, por exemplo, querer atuar com distribuição fracionada de medicamentos, e para este fim é preciso ter um certo dimensionamento do local físico.

  • Com quantos clientes, laboratórios farmacêuticos, você pretende atuar?
  • Que tipo de layout será o mais adequado? Horizontal ou vertical?
  • Como será o fluxo de entrada e saída destes medicamentos do local de armazenagem?

Essas são apenas algumas dúvidas que você precisará responder, e tudo isso é fundamental para que você faça o dimensionamento correto.

Escolhendo o local correto para o espaço de armazenagem

Outro ponto crucial é a escolha do local, que você irá alugar ou comprar, para servir de base para armazenagem dos produtos a serem distribuídos.

Ao ter, pelo menos uma noção, do tamanho em m² do espaço que você irá precisar, chega a hora de olhar para as opções.

Por isso, eu separei algumas dicas importantes que você deve considerar:

  • Em distribuição de produtos, a localização importa bastante. Conseguir um aluguel barato, porém longe dos locais de entrega, pode fazer com que o valor gasto somente com combustível torne a escolha mais cara.
  • Procure espaços com pé direito mais alto, normalmente com 6 metros, pois eles permitem a entrada de um caminhão.
  • Outra vantagem de espaços mais altos é que você pode fazer armazenagem vertical, instalando racks.
  • Observe o piso deste imóvel, pois dependendo da estrutura não é possível transitar caminhões, ou mesmo instalar racks porta paletts.
  • Um ambiente com duas saídas pode ser bastante vantajoso para a sua operação, porque você pode criar um fluxo de entrada e saída de mercadorias que funcionará muito melhor do que ter que entrar e sair pela mesma porta.
  • Observe a região no entorno, dar uma boa impressão ao seu cliente, caso ele te visite, pode ser a diferença entre você ser contratado ou não.

QUANTO CUSTA MONTAR UMA OPERAÇÃO DE ARMAZENAGEM

Quanto custa para implantar um serviço de armazenagem

Uma dúvida bastante comum de quem já atua (ou quer atuar) com transporte de carga fracionada, e quer oferecer serviços de armazenagem, é saber quanto custa montar a estrutura física.

Se você pensar friamente, um armazém é bem simples, com um barracão de pé direito alto, e estruturas onde os pallets poderão ser armazenados.

Dependendo do tipo de operação, até é possível armazenar mercadorias sem racks, mas a maioria dos armazéns que conheço são uma grande caixa, com racks dentro, distribuídos de forma inteligente.

É importante também, dentro de um armazém que vai atuar como ponto estratégico para distribuição fracionada, que haja um espaço para o cross docking.

Então vamos pegar como exemplo um barracão de 300 m², que é um espaço pequeno, mas oportuno caso você seja um empresário que está começando.

Dos 300 m², vamos considerar a metade para armazenagem, os outros 150 m² ficarão para cross docking, expedição, etc.

Neste espaço de 150 m² é possível colocar, por exemplo, 150 posições:

  • 5 pares de vigas (andares)
  • 2 pallets por andar
  • 2,30 metros cada posição

Segundo a empresa Fabrimetal, cada posição custa em média R$ 200 (referência nov/17), totalizando nas 150 posições R$ 30 mil.

Este valor pode variar muito, pois cada operação tem suas peculiaridades.

Além disso, é fundamental uma empilhadeira pelo menos, que nova sai no mínimo uns R$ 42 mil (Empilhadeira Elétrica Tracionária Pt 1654 Paletrans)

É claro que existem outros investimentos menores, e por isso eu diria que um total de R$ 100 mil (sem capital de giro) por 150 posições é uma boa referência.

RAMOS DE FRACIONADO COM ARMAZENAGEM

Tipos de ramos de armazenagem mais comuns

Veja agora alguns ramos da indústria e comércio, que utilizam o transporte de carga fracionada, e podem precisar da armazenagem no parceiro logístico.

Mas antes de falar dos ramos especificamente, eu quero te dar uma noção dos motivos pelos quais estes ramos armazenam suas mercadorias.

Demandas específicas do mercado

Diversos ramos da indústria e comércio precisam condicionar suas vendas à uma época do ano, ou por um momento oportuno na economia.

Temos, por exemplo, a situação agora do conversor digital nos televisores antigos, isto porque quem tiver um aparelho antigo não conseguirá mais assistir aos canais de TV aberta.

Agora, imagine que para resolver esta situação (e acredite, são milhões de pessoas) indústrias criaram um estoque gigante deste aparelinho, e preciso armazená-lo temporariamente em algum lugar.

Talvez você, como pequeno empresário, não possa aproveitar esta chance, mas saiba que alguém aproveitou.

Da mesma forma que o exemplo citado acima, sempre existiram e sempre existirão oportunidades que podem se encaixar no seu caso.

Produtos sazonais

Veja por exemplo o ramo de confecções. A moda dita a regra e, no mundo inteiro, saem 4 estações por ano, assim como é a primavera, verão, outono e inverno.

Agora, imagine que as empresas de confecção, precisam estar sempre preparadas para sair de uma estação e ir para outra.

A armazenagem neste ramo pode ser crucial para algumas empresas, e no caso das pequenas confecções os seus serviços podem encaixar perfeitamente.

Outro ramo que depende da sazonalidade é o de material escolar, que tem seu auge no início do ano, mas depende de estrutura para produzir durante o ano.

Indústrias de chocolate, se tiverem armazenagem própria, podem ter quase 100% de ociosidade após a Páscoa e, por isso, podem precisar de armazenagem temporária.

Vantagens fiscais

Imagine que uma empresa importadora tem sede em São Paulo, mas descobriu que se pudesse entrar com seus produtos por Santa Catarina pagaria menos imposto.

Esse valor total de imposto economizado daria até para abrir uma filial em Santa Catarina, mas a empresa tem medo da legislação fiscal mudar e ela perder o investimento.

É aí que pode entrar os serviços de armazenagem e distribuição da sua empresa.

Porém, você precisa ter os olhos abertos à estas oportunidades, garimpar situações como essa e oferecer seus serviços.

Garantia de entregas urgentes

Dependendo do cliente embarcador, ele pode entender que é vantajoso ter armazenagem na sua cidade, pelo fato de que você entregará de forma muito rápida o produto ao cliente dele.

Veja, não estamos falando aqui de entregas expressas, em que o serviço é esporádico e por isso mais caro.

Estou falando de regularidade de entregas em alguns clientes, mas que precisam acontecer muito rápido e com custo baixo.

Problemas de alfândega

É muito comum conversar com importadores, que acabam perdendo meses com a mercadoria parada na alfândega brasileira.

Essa instabilidade mata qualquer planejamento, e o empresário não sabe quando terá a sua mercadoria para revenda.

Agora, imagine este empresário com um armazém parado, ocioso, sem saber quando irá ocupá-lo.

Em casos assim, é mais prático terceirizar a armazenagem, e isso pode ser uma grande oportunidade para você prospectar no mercado.

COMO E QUANDO COBRAR PELA ARMAZENAGEM

Quando e como cobrar pelos serviços de armazenagem

Você possui clientes, e como serviço você transporta cargas fracionadas deste cliente.

Aí vem a pergunta:

Será que eu devo cobrar pela armazenagem deste cliente?

A resposta é: depende!

Para que seja considerada armazenagem de fato, a mercadoria terá que ocupar posições de porta-pallet no seu barracão, por pelo menos um período mínimo de tempo.

Se a mercadoria veio por transferência para o seu armazém, mas praticamente ficou o tempo de se fazer o cross docking para outros carros, então não há o que cobrar pelo espaço físico.

Agora, se você está guardando a mercadoria ao cliente por dias a fio, então é justo que você faça seus cálculos para faturar ao cliente por este serviço.

Quando cobrar pela armazenagem

Chegamos no final, no ponto em que você já tem a estrutura pronta e também o possível cliente.

Chegou a hora de passar uma proposta comercial, e você precisará saber quanto cobrar deste cliente pelos serviços de armazenagem.

A tarifa pelo serviço de armazenagem é calculada com base em duas variáveis:

  • Espaço físico
  • Tempo

De acordo com o número de posições que o cliente precisa, e também o tempo em que a mercadoria ficará armazenada, é possível determinar quanto você irá cobrar.

Vale lembrar que normalmente estabelece-se um tempo mínimo de dias na cobrança pela armazenagem, ou seja, se foi combinado o tempo de mínimo de 15 dias, e o cliente usou apenas 5 dias, ainda assim ele pagará pelos 15 combinados.

Sim Ed, já sei como é cobrado, mas como calculo meu lucro?

Armazenagem é uma atividade que, diferente do transporte de cargas, não tem custo variável.

Ou seja, com você sabendo todos os seus custos fixos mensais, basta que você divida este valor total pelo número de posições.

Isso te dará o custo por posição, e aí fica fácil colocar a margem em cima e passar ao cliente.

Cuidado com a ociosidade

Estava muito fácil, não é? Da forma como eu coloquei logo acima não tem segredo nenhum calcular os seus custos e rentabilidade.

Porém, tem um problema aí, a taxa de ocupação do seu armazém.

Se você não cuidar com isso, mesmo que coloque uma margem de lucro em cima dos seus custos por posição, no final do mês você ficará no prejuízo.

Você precisa entender que, para que haja lucro, você precisa manter uma taxa média de ocupação mensal, que você mesmo vai definir, de forma estratégica.

Vamos supor que seja de 60%.

Desta forma, você precisa entender que não ganhará nada em cima dos outros 40%, e por isso precisa jogar este custo no valor final.

CONCLUSÃO

Conclusão sobre Armazenagem

Ufa, chegamos ao final do artigo, e se você chegou até aqui é porque o tema armazenagem te interessa bastante.

Se este é realmente o seu caso, eu te peço para não parar neste artigo, continue pesquisando sobre o tema, estude o máximo que você puder.

Armazenagem é estratégia, não se esqueça disso!

E como tal, você precisa estar sempre de olho no mercado, nas oportunidades que poderão surgir de melhorar a operação do seu cliente.

Se você sempre olhar para o seu cliente com o intuito de reduzir os custos dele, as chances são de que você irá encontrar o seu espaço, e lucrar com tudo isso.

Muito obrigado pelo seu tempo até aqui.

Grande abraço.
Ed