COMO AGREGAR CAMINHÃO? SAIBA QUE, SEM CUMPRIR ESTAS EXIGÊNCIAS, VOCÊ JÁ ERA!

caminhão agregado

Sobreviver no Brasil hoje é um desafio, não é mesmo?

Você não sabe se vai conseguir frete amanhã, está cansado de ficar inseguro por causa das contas no final do mês, e ainda tem o risco de o caminhão quebrar.

É por estas e outras que muitos caminhoneiros autônomos e donos de pequenas transportadoras cansaram de se aventurar lutando todo dia por um frete, e resolveram agregar seus caminhões numa grande empresa.

FERRAMENTA DE CADASTRO DE AGREGADOS [GRÁTIS]

Como agregado em uma empresa, você tem a chance de faturar mesmo que não tenha carga para entregar, apesar de isto não ser uma regra.

As grandes empresas de transporte costumam trabalhar no sistema 50/50, em que metade da frota é feita de agregados, o que significa que há espaço para você, mas para isso é preciso cumprir uma série de exigências, que vou te contar daqui a pouco.

Continue lendo este artigo para saber mais sobre:

  • Por que é um bom negócio agregar caminhão?
  • Diferenças entre o motorista autônomo e o empregado;
  • O que você deve preparar para conseguir agregar;
  • A questão da experiência;
  • Escolas e cursos disponíveis no mercado.

AGREGAR CAMINHÃO, UM BOM NEGÓCIO

Agregar caminhão, vantagens

Muitas vezes, em conversas com caminhoneiros autônomos ou pequenos empresários, eles me perguntam se eu acho o fato de agregar caminhão uma boa ideia.

A minha resposta é sempre a mesma:

Sim, vale a pena, mas não é um negócio para todos.

Por isso, você deve descobrir qual é o seu perfil, e com isso decidir qual é o melhor caminho para seguir.

Eu conheço 3 tipos de perfil que certamente representam a grande maioria das pessoas, e isso vale para qualquer tipo de trabalho, mesmo que não seja na área de transportes.

Os empreendedores natos

Se você tem um espírito mais aventureiro, não se assusta facilmente com as dificuldades, e tem a ambição de crescer e um dia ter dezenas de caminhões no seu pátio, mas tem um único caminhão, então agrega-lo talvez não seja um bom negócio.

Você pode ficar amarrado em uma empresa, sem chances de aproveitar outras oportunidades que possam aparecer.

Por outro lado, se você já tem mais de um caminhão, poderá deixar um motorista trabalhando para você como agregado, enquanto você procura por outros clientes e meios de maximizar seus lucros.

Os que buscam segurança

Você comprou um caminhão, mas não quer o risco de voltar para sua cidade sem um frete de retorno, ou mesmo ficar uma semana com o caminhão estacionado em casa porque não apareceu nada?

Então agregar é um excelente negócio para você.

Mas cuidado! Nem todo lugar é bom para agregar! Você precisa entender exatamente como funcionam estas empresas, para que o negócio seja bom para os dois lados.

Tente entender:

  • Se você irá receber uma remuneração fixa, e qual é este valor;
  • Qual é o valor pago por viagem?
  • Se a empresa paga por km rodado ou um percentual da nota fiscal;
  • Quem paga os pedágios?
  • O que acontece em caso de quebra do caminhão?
  • Você precisará cumprir horário na empresa esperando carga?
  • A empresa costuma ter frete de retorno ou será por sua conta?
  • Os pagamentos são por viagem, semanais ou mensais?

Os que têm muito medo de se arriscar

Se você fica apavorado só com a ideia de que seu caminhão possa quebrar, de que não terá dinheiro para cobrir os gastos no final do mês, ou que ganhar dinheiro com um veículo próprio é coisa do passado, então é melhor você não fazer este investimento.

Tente entrar (por mais que não esteja fácil hoje em dia) em uma boa empresa, com carteira assinada, que ofereça benefícios para você e sua família.

Não tem nada de errado em pensar desta forma, se isto te deixa mais tranquilo no dia a dia, certamente vai te fazer mais feliz na vida.

Tipos de veículos para agregar

Muitas vezes empresas transportadoras precisam, além dos caminhões e carretas, de veículos menores para agregar, e aí pode ter uma oportunidade para você, com um investimento menor.

Dentre os principais veículos que as empresas precisam é possível:

  • Agregar Fiorino;
  • Agregar HR;
  • Agregar Van;
  • Agregar Kombi.

Se você ainda vai adquirir um veículo para trabalhar, talvez seja um bom negócio começar com um menor, que teoricamente vai te custar menos.

Percebendo, após um tempo, que este tipo de trabalho é interessante para você, aí sim vale a pena partir para um modelo maior, que te custará mais dinheiro, mas ao mesmo tempo também poderá te dar mais lucro.

QUAL A DIFERENÇA PARA UM EMPREGADO?

autônomo agregado ou funcionario

Ainda existe muitas pessoas com dúvidas, perguntando se a diferença entre um autônomo agregado e um funcionário registrado da empresa é apenas no fato do veículo ser do autônomo.

Na verdade existem muitas outras diferenças, já que as leis que regulam cada categoria são totalmente diferentes.

Motorista funcionário da empresa

É um colaborador fixo da empresa, com registro na carteira de trabalho e jornada estipulada de trabalho.

O motorista funcionário possui:

  • Salário determinado pela categoria;
  • Direitos trabalhistas como férias, 13º salário e FGTS;
  • Direitos previdenciários: através de um desconto mensal em folha de pagamento, o motorista paga a Previdência Social, para ter direito à aposentadoria;
  • Vantagens que a empresa disponibiliza, como convênio médico e odontológico, vale-transporte, vale refeição e auxílio educação.

Além disso, caso saia da empresa, o motorista funcionário tem direito a receber as verbas rescisórias conforme previstas em lei.

Autônomo agregado

O motorista agregado é como se fosse um empresário, mas seguindo regras de uma outra empresa.

Além de ter que possuir um veículo para trabalhar, ele deve cuidar por si mesmo de coisas que um empregado normal não se preocuparia, como:

  • Gastos com manutenção do veículo e pneus;
  • Responsabilidade pela carga;
  • Recolhimento da guia da Previdência Social para garantir a aposentadoria;

Existe muita discussão sobre a questão do controle da jornada de trabalho.

Pela lei as empresas não devem controlar o horário de entrada e saída do motorista autônomo, porque isto caracterizaria uma relação empregador/empregado.

Porém, na prática, as empresas acabam definido horários para o agregado cumprir. Essa é uma questão bastante complexa em que você precisa avaliar com calma o que é melhor para você.

O QUE AS EMPRESAS EXIGEM?

você está preparado?

Agregar caminhão numa empresa estabilizada, que possui uma carteira grande de clientes, e que paga seus fornecedores sempre em dia é o sonho de muitos caminhoneiros autônomos.

Mas existe um motivo pelo qual estas empresas são tão boas, elas só contratam os melhores.

Elas sabem que, com bons veículos e bons motoristas, irão prestar um serviço de qualidade aos seus clientes.

Você precisa avaliar se está qualificado para estas empresas antes de tentar contato com elas. Não queime cartuchos, prepare-se antes e dê o tiro certeiro.

Olhe para cada uma das exigências abaixo e veja como você se sai:

Documentação em ordem

Sempre que você for tentar entrar numa empresa tenha em mãos documentos atualizados de:

  • Registro Geral (RG);
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
  • Comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone em seu nome);
  • Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC) da ANTT;
  • Conta bancária para o depósito dos fretes.

Se você:

  • É o dono do veículo, então a documentação acima estará ok;
  • Possui uma empresa, então precisará fornecer também cópia do contrato social, além de comprovante de endereço e conta bancária em nome da empresa;
  • Possui motorista como empregado, então precisará fornecer os dados da pessoa que irá dirigir o caminhão também.

Veículos com menos de 10 anos

Como eu citei no início do artigo, as empresas irão sempre buscar os melhores motoristas com os melhores caminhões, e neste quesito a idade do caminhão conta muito.

Veículos mais novos dão menos manutenção, o que ajuda na pontualidade da entrega, além de diminuir os riscos de acidente.

É aquela história, se você tem uma transportadora e está buscando agregados, sabendo que existe muita gente por aí com caminhões mais novos procurando colocação, por que você contrataria alguém com caminhão mais velho?

A resposta pode estar na experiência deste motorista, além de uma maior responsabilidade pela carga, mas na prática nem sempre é isto que acontece.

Se você tem um caminhão mais velho considere um dia comprar um mais novo e tentar estas empresas, eu sei que é difícil isso, mas você precisa ter uma meta e um prazo bem definidos, e certamente vai atingir um dia.

Vejo caminhoneiros com veículos de 20, 30 e até 40 anos de idade sem se preocupar em trocá-lo por um mais novo. Uma meta com foco no resultado pode fazer toda a diferença.

Motoristas com idade entre 25 e 45 anos

As empresas também são seletivas quando o assunto é a idade, se por um lado quem tem menos de 25 anos não consegue agregar porque acham que é novo demais, por outro os motoristas com mais de 45 anos já são considerados velhos e menos produtivos.

Esse é um assunto bastante complexo, em que na minha opinião, é errado pensar que alguém com até 60 anos não possa desempenhar sua função de motorista tão bem quanto alguém mais novo.

O que atrapalha muitas vezes é que os motoristas mais velhos têm mais dificuldade com as novas tecnologias de veículos, rastreadores e tacógrafos.

Por isso, se você está nesta situação, procure estudar, ampliar seus conhecimentos, para conseguir se diferenciar dos demais.

Agora, se você não tem pelo menos 2 anos de experiência comprovada eu sugiro não tentar as melhores empresas, pois você será rejeitado.

Comece por uma empresa menor, com um valor menor, mas ganhe experiência comprovada, para depois ir para a empresa que você sonha.

Rastreador no veículo

A maioria das empresas irá exigir de você um rastreador no seu caminhão, porque este equipamento é praticamente obrigatório para o seguro da carga.

Algumas transportadoras fornecem um equipamento deles, fazendo o controle não somente para fins de seguro, mas também como monitoramento do seu trabalho.

Seguro do veículo

O seguro do veículo é algo muito importante para as empresas que agregam, principalmente aquelas mais conceituadas no mercado.

A preocupação destas empresas é como resolver um problema de acidente quando ele acontece, da forma mais rápida e prática possível.

Algumas exigem apenas seguro contra terceiros, porém podem estipular uma exigência de que a cobertura deste seguro seja de até R$ 100 mil.

Outras empresas dão o seguro do veículo mas descontam do agregado.

Se você trabalha com associações ao invés de seguradoras fique atento porque algumas empresas não aceitam este tipo de prática.

Aprovação das gerenciadoras de risco

As gerenciadoras de risco são um pesadelo para muitos motoristas, mas infelizmente esta prática é necessária por causa do alto número de roubo de cargas que acontece no Brasil.

Entre os itens que são avaliados na vida do motorista estão:

  • Restrição em órgãos de crédito, como SERASA e SPC: apesar de proibida pela Lei nº 11.442, Art 13-A, essa prática é comum no mercado;
  • Situação fiscal, para saber se você está devendo impostos ao governo;
  • Inquéritos policiais, para entender se você já esteve fichado na polícia;
  • Processos cíveis e criminais.

Contudo, se você não tem estes tipos de problema, tente usar as gerenciadoras de risco a seu favor, destaque estes itens quando você for aplicar para uma vaga numa boa empresa, você pode inclusive pesquisar por alguns destes itens e entregar a pesquisa para a empresa.

Abaixo seguem alguns sites onde você pode pesquisar a sua situação:

  • Situação do CPF: na Receita Federal você pode pesquisar se seu CPF está regular ou não, as vezes um detalhe como este pode te impedir de ser aprovado, clique aqui para pesquisar gratuitamente;
  • Restrições cadastrais: para saber se você tem algum protesto ou restrição financeira no seu CPF você pode consultar neste site aqui, a consulta custa R$ 20,00, mas vale a pena dependendo do tipo de empresa onde você pretende agregar;
  • Antecedentes criminais: no site da Polícia Federal você pode tirar uma certidão de antecedentes criminais, comprovando que você não cometeu nenhum crime. Clique aqui para preencher o formulário e aqui para tirar dúvidas sobre como preencher;

Cursos e certificações na área

Digamos que tudo o que foi dito até agora sejam itens básicos, o mínimo necessário para você ser aceito como agregado numa boa empresa.

Porém, para conseguir a vaga é preciso mais, é necessário que você tenha passado por vários cursos, que irão garantir a sua capacidade de dirigir de forma econômica e segura.

Os cursos para motoristas oferecem o treinamento necessário para que os profissionais estejam sempre bem preparados para lidar com as situações adversas, como problemas no veículo, avarias na carga, frenagens de emergência, desvios de obstáculos ou acidentes nas estradas.

Algumas áreas exigem certificações obrigadas por lei, ou seja, sem o certificado você não pode atuar:

  • Transporte de produtos perigosos (MOPP);
  • Transporte de cargas indivisíveis;
  • Transporte de emergência;
  • Transporte coletivo de passageiros;
  • Transporte escolar.

Já as demais áreas não exigem certificação obrigatória por lei, mas têm as exigências das empresas que agregam.

Existem vários cursos disponíveis para te ajudar na qualificação, eu sugiro que você procure fazer a maioria deles:

  • TAC: Transportador Autônomo de Cargas, clique aqui para ver o curso;
  • Direção defensiva: Ensina a evitar acidentes;
  • Direção econômica: Mostra a forma correta de operar o veículo;
  • Economia de pneus: Importante principalmente para aqueles que vão trabalhar com veículos da empresa.

A melhor opção para aprender é o SEST/SENAT, pois além de ser gratuito, oferece dezenas de opções de cursos, tanto presenciais quanto à distância.

Outras boas opções de escolas disponíveis são:

  • FABET: a Fundação Adolpho Sósio de Educação no Transporte é famosa por seus cursos na área, e disponibiliza uma série de cursos que você pode ver clicando aqui;
  • CENTRONOR: Centro de Treinamento de Motoristas da Região Nordeste do Rio Grande do Sul, veja o vídeo de apresentação aqui;
  • ATC: a Associação dos Transportadores de Carga do Mato Grosso criou o programa Guia Volante, que visa treinar e qualificar motoristas, veja a grade curricular aqui;
  • CTQT : Centro de Treinamento e Qualificação no Transporte, criado pelo grupo G10 de Maringá-PR, veja as opções de cursos aqui.

Por fim, quero deixar alguns conselhos para você na hora de se apresentar a alguma empresa, tenha em mente que o avaliador vai te ouvir considerando principalmente 3 fatores:

  • Boa apresentação pessoal: vista-se adequadamente no dia da sua visita e tome cuidado com os extremos, não precisa ir com uma gravata mas também não é legal ir de bermuda;
  • Equilíbrio emocional: tome cuidado na forma como se expressar, se você é autônomo independente há muito tempo talvez não esteja mais acostumado a seguir regras, porém numa vaga como esta isto é fundamental;
  • Boa capacidade de comunicação: tente se comunicar da forma mais clara e objetiva possível, isso é importante para o avaliador porque demonstra como você é. A primeira impressão sua é a sua marca, não esqueça disso 😉

Exigência da empresa TNT

Para você ter uma ideia da exigência de uma grande empresa de transportes, segue abaixo tudo o que a transportadora TNT exige na hora de contratar um agregado:

  • Formalização de contrato de prestação de serviço;
  • Cópia da última versão consolidada do contrato social da empresa;
  • Cópia do alvará de localização;
  • CDA (Certidão de dívida ativa);
  • Certidão negativa de débitos emitido pela Fazenda Nacional e outra emitida pela União Federal;
  • Certidão de débitos municipais;
  • Cópia do CRLV ((Certificado de Registro e Licenciamento de veículos);
  • Cópia do RNTRC (ANTT);
  • Cópia do leasing;
  • Comodato ou locação de veículos (se for o caso);
  • Certificado de participação no curso de direção defensiva;
  • Certificado de participação no curso Mopp;
  • Teste de opacidade para veículos a diesel ou análise de gases de escape para os demais combustíveis;
  • CNH e comprovante de residência do motorista;
  • Rastreador via satélite ou GPRS;
  • Idade máxima do veículo não pode ultrapassar 10 anos;
  • O veículo deverá passar também por uma inspeção na TNT, para verificar se está dentro dos padrões exigidos;
  • Obrigatoriedade de treinamento de integração, onde serão apresentados todos os procedimentos;
  • Liberação da gerenciadora de risco;
  • Obrigatoriedade de participação do programa Road Safet (Segurança nas Estradas).

CONCLUINDO…  COMO AGREGAR CAMINHÃO DA MANEIRA CERTA

caminhão agregado

Seguindo os passos listados aqui você irá naturalmente aumentar suas chances de agregar seu caminhão em uma boa empresa.

Porém, se você almeja uma colocação rápida no mercado então precisará de uma meta e bastante dedicação.

Tente seguir fielmente os passos listados abaixo:

  • Faça uma análise de qual é realmente o seu perfil:
    • Empreendedor nato;
    • Busca segurança;
    • Tem muito medo de arriscar.
  • Avalie se está ok para você ser um agregado:
    • Diferenças para um empregado com carteira assinada;
    • Maior dependência das regras da empresa onde você irá agregar.
  • Certifique-se de que você atende às exigências das empresas:
    • Documentação em ordem;
    • Veículo com menos de 10 anos;
    • Idade entre 25 e 45 anos;
    • Rastreador no veículo;
    • Seguro do veículo;
    • Aprovação das gerenciadoras de risco;
    • Cursos e certificações no ramo de transportes.
  • Vá para a entrevista da forma correta:
    • Boa apresentação pessoal;
    • Equilíbrio emocional;
    • Boa capacidade de comunicação.

Com essas etapas cumpridas tenha certeza de que você será melhor avaliado do que a maioria dos outros candidatos.

Aproveite e faça gratuitamente o cadastro do seu e-mail abaixo, no sistema que armazena o cadastro de motoristas e empresas que agregam.

A ferramenta é de graça e poderá te ajudar mais rapidamente a encontrar um bom local para trabalhar.

Clique no link abaixo:

FERRAMENTA DE CADASTRO DE AGREGADOS [GRÁTIS]

  • Carolina Damasceno

    Parabéns Ed. Vou usar essas valiosas dicas na procura por uma empresa. Meu marido está agregado atualmente mas estamos procurando algo melhor. Obrigada por compartilhar seu conhecimento. Abraço

    • Olá Carolina,
      Espero que consigam encontrar a empresa que desejam.
      Muito boa sorte e obrigado pelo comentário. Sucesso!

  • André Luiz Moreira de Paula

    Muito proveitoso. Porem nem tudo. Em relação as gerenciadoras de risco, motoristas com restrições SERASA/SPC não podem ser dados como inaptos ao transporte, pois a lei é clara. Infelizmente o autor da materia não se atentou a essa lei: LEI Nº 11.442, DE 5 DE JANEIRO DE 2007. Art. 13-A. É vedada a utilização de informações de bancos de dados de proteção ao crédito como mecanismo de vedação de contrato com o TAC e a ETC devidamente regulares para o exercício da atividade do Transporte Rodoviário de Cargas. Porem o sindicamsp esta com dificuldades em entrar com processos contra essas gerenciadoras de risco, pelo simples fato de que os motoristas, por serem na maioria das vezes de pouco conhecimento e cultura, ficam com medo e/ou apreensivos. Temos que nos unir e banir esse tipo de “regras” impostas pelas gerenciadoras de risco. Alem de ser ilegal é desumano com um trabalhador, pois sem trabalho não consegue honrar suas dividas. E se por esse motivo alegam que ha possibilidade maior de roubo, pelo simples fato de estar negativado, é nitido que estão intitulando o motorista de ladrão, nas entrelinhas, claro. Elas tem ciência da lei, tanto é que as gerenciadoras de risco sabem disso, pois não documentam o por que da inaptidão do motorista. E em relação a possiveis processos criminais, podera, apenas nesse quesito, se o motorista estiver respondendo ou até mesmo tenha sido condenado. Mas se ja respondeu e esta “quites” com a justiça, não se pode restringir. Caso ja teve esse problema, eu ja o tive, entre em contato com o Sindicamsp, certeza o “problema” ser resolvido, pois o meu foi.

    • Olá André,
      Muito obrigado pela sua contribuição. Eu inclusive já fiz uma alteração no artigo, na parte de gerenciamento de riscos, incluindo a lei que você citou. Grande Abraço!

      • André Luiz Moreira de Paula

        Ok. Vi a alteração que vc fez, porem, na minha opinião, esta deixando claro que as gerenciadoras andam fora da lei, como que elas querem respeito? Não duvido que elas o contate pra que “tire” a lei para que a população não tenha ciência de seus direitos. Todas fazem isso, mas a hr que os motoristas inaptos ficarem sabendo de seus direitos, ira sobrar processos no Ministerio Publico do Trabalho. Aconselho nossos amigos estradeiros a entrarem com processo diretamente no MPT (Ministerio Publico do Trabalho) pois a “pancada” nessas agenciadoras de “risco” sera violentissima. Ja foi fechada uma em MInas Gerais. E se a “onda” pega, vão faltar gerenciadoras. Assim espero! ps:as gerenciadoras de risco deveriam entrar com processo em cima do estado, pois o mesmo é obrigado a dar segurança. E pelos impostos pagos, era pra ter uma viatura atras de cada cargueiro…rsrs. Mas pra elas é mais facil andar fora da lei, até a hr que o povo estradeiro acordar pra vida.

  • Pingback: ()

  • Vanderson Poubell

    Olá amigo,excelente suas informações são. Muito obrigado pela atenção,seguerei todo o caminho.

    • Obrigado Vanderson, boa sorte e conte comigo para o que precisar!

  • Fabricio Aquino Dos Santos

    Caro Ed Trevisan, primeiramente muito obrigado pelo site. Leitura fácil e informações precisas. Hoje trabalho com contabilidade e não está nada fácil, muita burocracia, prazos, rotinas massacrantes, entre outros problemas que estão me fazendo repensar minha profissão. Sei que todo o trabalho tem os seus “ossos”, mas não está fácil. Li o seu artigo achei interessante e dentro deste repaginação da minha vida profissional, sempre tive vontade de voltar a trabalhar com transporte. Falo voltar porque hoje com os meus 37 anos, trabalhei com 18 anos em um supermercado onde fazia trabalho como motorista de caminhões 3/4 e toco (apesar de não ser registrado na época) e aos 21 anos tirei minha carta categoria E. Gostaria de saber, se não for incomodo, qual sua sugestão para uma pessoa como eu, mesmo sem experiência comprovada, consigo agregar um caminhão em uma boa transportadora? Não tenho tanto recurso disponível é melhor financiar um caminhar zero km ou seminovo? E por fim qual a média de ganho para um cavalo agregado por exemplo?. Um forte abraço. Fabricio Aquino

    • Olá Fabrício, obrigado pelas suas palavras, é sempre motivador saber que os artigos estão ajudando as pessoas de alguma forma.

      O momento atual infelizmente não é propício pra alguém começar no ramo, não que seja impossível, mas provavelmente você enfrentará dificuldades em conseguir uma vaga para agregar, isto porque hoje em dia existem mais caminhões do que carga disponível no mercado.

      Sem dúvida eu te sugeriria um caminhão usado, mesmo que as melhores transportadoras prefiram os caminhões mais novos, isto porque um investimento menor te exigirá uma prestação mensal menor.

      Com o passar do tempo você aprenderá mais sobre a profissão e, os obstáculos, e como fazer para desviar deles.

      Espero que continue acompanhando nosso site, conte com a gente sempre. Abraço!

  • DIRCEU LUIS SIVIERO

    Boa noite ! Ed trevisan

    Gostei muita das suas dicas, muito esclarecedoras tirei muitas dúvidas pois estou muito inclinado a comprar uma hr 2010 ou 2012 , pois tenho medo de não conseguir agrega-la , estou pesquisando quanto é a saída da mesma , me enquadro dentro do perfil q vc passou, só q tenho 47 anos . vc poderia me passar valores de quanto estão pagando por saída da hr e se tenho condições de me meter em uma dívida de 1500 mensal trabalhando 24 dias ao mês .
    Desde já agradeço .

    • Fala Dirceu, tudo bem?
      Que bom que tenha encontrado informações que possam te ajudar nessa nova empreitada.
      Eu teria dificuldades em te dizer quanto estão pagando no mercado hoje para uma HR, pois os preços são muito variados, uma coisa que você pode fazer é consultar aplicativos de frete, que podem te dar uma boa ideia de preço, eu conheço esses aqui:
      https://www.truckpad.com.br/http://www.fretebras.com.br/https://www.sontracargo.com.br/
      Sobre a dívida, também é relativo, teoricamente dá pra pagar, mas tudo vai depender mesmo de você conseguir agregar.
      Forte abraço!

  • Paulo Sérgio

    Ed Trevisan Obrigado por esse artigo, que foi muito útil, foi como um leque com varias opçoes, recentemente comprei uma Fiorino 2013 com 38.000 km e ja tenho umas propostas pra entrar no ramo, mas minha duvida é DEVO TIRAR ANTT ? ou Não ? Muitas empresas pedem hoje em dia ?

    Obrigado pela sua Prestação de Serviço, um forte Abraço e fica com Deus !

    • Olá Paulo, agradeço pelas suas palavras.

      Dá uma olhada nesse link aqui, que vai esclarecer a sua dúvida: http://appweb2.antt.gov.br/carga/rodoviario/faq.asp

      Forte abraço!

      • Everton Falkenburg

        oi gostaria de saber como entro em contato com o sr.
        boa noite gostaria de saber se pode me ajudar pois fui mandado embora do meu serviço e estou com um dinheiro guardado gostaria de saber eu motorista categoria B qual carro posso comprar para trabalhar com vcs e quanto ganharia em media obrigado!

  • fabio

    caro Ed Trevisan, gostei muito das informações apresentadas, porém gostaria de saber se a termo de investimento esta valendo apena investir em um cavalo semi novo e contratar motorista para agregar em uma empresa?

    • oi Fábio, tudo bem?
      Muito difícil dizer porque em todo ramo existem pessoas ganhando dinheiro e outras quebrando. De uma forma genérica posso dizer que se você não tem experiência no ramo, contratar um funcionário para conduzir o veículo pode ser difícil rentabilizar, porque além dos gastos operacionais você terá o salário dele.
      De qualquer forma, é preciso de fato entrar no ramo para entender.
      Um jeito de minimizar o seu risco é investir em um veículo menor e entender por um tempo a dinâmica do mercado.
      Abraço!

  • Nilton

    Ola , gostei das informações , tenho um caminhão truk , fiz a antt , mais estou com dificuldades de encontra fretes , ate encontro alguns mais que mão paga o combustível

    • Fala Nilton, tudo beleza?
      Pois é cara, eu sei que está bem difícil mesmo, atualmente existem mais caminhões no mercado do que carga.
      A solução é pesquisar bastante, e tentar usar as dicas citadas no texto.
      Te desejo boa sorte aí na sua empreitada.
      Abração!

  • Américo Carvalho Outeiro

    Ed boa tarde eu tenho 48 anos sempre trabalhei na estrada como representante e agora to afim de mudar e entra no pesado, minha categoria e D qual conselho vc me daria e qual bruto comprar ? lembrando que sou apaixonado pela estrada

    • Olá Américo, tudo bem?
      A minha sugestão pra você é pesquisar bastante, conversar com o máximo de pessoas possíveis, tentando descartar os pessimistas mas ao mesmo tempo não criar altas expectativas.
      O mercado está em baixa atualmente, e talvez não seja o melhor momento para entrar.
      De qualquer forma sempre haverão oportunidades, e aí vai de você garimpar bastante.
      Sobre o tipo de bruto isso é muito relativo, tem espaço para todas as categorias, porém se você é novo no ramo eu sugiro começar com algum de valor menor, pois é uma forma de disponibilizar o mínimo necessário, e após um tempo você saberá exatamente se este mercado é para você ou não.
      Espero ter te ajudado =) Abraço!

  • Renato

    Boa tarde Ed,sou de Recife, e gostaria de entrar nessa área ! principalmente de transporte de combustível ! qual o tipo de caminhao ? e quanto custa ? e como faço para entrar ? muito obrigado Ed .

    • Fala Renato, tudo bem contigo?
      Veja quanto custa um veículo usado neste link: http://www.trucadao.com.br/venda/caminhoes-usados/tanque
      A questão de entrada no mercado é muito relativa, e depende de região, mas eu sugiro que você dê uma conversada com quem está vendendo este tipo de caminhão, e ele poderá te dar uma boa ideia de como está o mercado.
      Abraço.

  • Jonathan

    Boa tarde e obrigado pelo artigo. Não está fácil mesmo. Tenho uma carreta grade baixa trucada e a grande maioria das empresas procura por caminhoes mais novos. Aqui na região de Porto Alegre busco uma empresa para agregar faz tempo. E difícil pois não posso parar o meu caminhão e sair a procura de empresas. Normalmente converso nas empresas onde carrego e descarrega. Mas vamos continuar a procurar e abraços

    • Olá Jonathan, obrigado por deixar seu registro aqui.

      Mesmo tendo muita oferta de autônomos para transportadoras e embarcadores sempre existirão empresas precisando.

      Uma sugestão é você tentar usar suas horas de folga para preparar um bom currículo, e enviar para o máximo de boas empresas que conseguir encontrar, tanto na internet quanto na rua.

      Os empresários sempre valorizam uma boa descrição do histórico profissional e, as vezes o ano do seu veículo pode ser um problema, mas não custa tentar =)

      Abraço

  • Ana Paula Françoso

    Venho aqui parabenizar suas informações com um conteúdo tão claro e sua atenção em responder todas perguntas.

    • Ana,
      Muito obrigado mesmo pelo seu feedback, pessoas como você me mostram que estou no caminho certo.
      Forte abraço!

  • Cátia C

    Olá Ed Trevisan,gostaria de agradecer as maravilhosas informações que obtive na sua pagina.
    meu esposo ficou desempregado e resolveu comprar um caminhão usado 608 conservado com baú,mas infelizmente estamos tendo muitas dificuldades em trabalhar com ele ,agregar nas empresas pq sempre dão oportunidades para HR, IVECO e outros mais novos.
    gostaria que vc me desse uma informação precisa para que possamos alavancar nosso negocio.
    desde já obrigado

    • Olá Cátia,
      Com o mercado inflado de caminhões, infelizmente os embarcadores priorizam veículos mais novos mesmo, pois o risco de quebra do veículo é menor, e assim a possibilidade da carga chegar no horário aumenta.

      Pessoas na situação de vocês tem 3 opções normalmente:
      1. Conseguir trocar o 608 por um outro caminhão mais novo;
      2. Reduzir ainda mais valor do frete, o que pode muitas vezes ser uma péssima opção, pois você pode ficar no prejuízo;
      3. Desenvolver um método para chegar no maior número de empresas possíveis, pois quanto mais empresas você falar, maiores são as chances de alguém aceitar o veículo.

      Espero ter te ajudado! Abraço.

  • Valdenor Ribeiro dos Santos

    Caro Ed o que posso dizer? Uma pessoa com visão e conhecimento muito além da média, qualidades dignas para qualificar um profissional com às máximas qualidades em liderança no ramo logístico e especificamente em transportes. Coisa que mais admiro em um profissional é o profundo saber em sua área de atuação. Parabéns Ed Trevisan sou teu admirador.

    • Valdenor, você não sabe quão feliz seu comentário me deixou, de verdade.
      São pessoas como você que fazem cada hora investida na escrita destes artigos valer a pena.
      Muito obrigado e conte comigo para o que precisar.
      Abração!

  • Julio Madureira

    Ola Ed qual modelo vc me indicaria para comprar toco, truk, 3/4 ou cavalo mecânico. Obrigado pela postagem são de pessoas como vc que o Brasil precisa para sair dessa recessão.

    • Olá Júlio, tudo bem?

      Eu que agradeço pelo prestígio.

      Realmente não consigo te dizer qual é o melhor modelo, porque tudo depende da sua condição financeira, de qual segmento sua região tem mais potencial, qual tem mais facilidade de entrada, ou mesmo qual pode te trazer maior rentabilidade.

      Sugiro que você faça muitas pesquisas, em especial as presenciais, falando com as pessoas do ramo, e tenho certeza de que encontrará um caminho.

      Abs.
      Ed

      • Julio Madureira

        Obrigado pela atenção

  • Pingback: ()

  • Pingback: ()

  • Vinny Vinicius

    Ola Ed,
    Primeiramente queria parabeniza-lo pelo site e agradecer pelas dicas, no entanto, muitas das suas informacoes nao saciaram algumas das minhas duvidas.

    Eu tenho interesse somente em ser um investidor, nao sou motorista e nao gosto muito de conduzir por longas distancias nem mesmo automóvel dentro da cidade pois ja me estresso mas tive pensando em comprar um caminhao semi-novo ou zero KM e agrega-lo a uma renomada empresa de transportes ou usinas de alcool e acucar.

    Gostaria de saber se alguma dessas empresas, de grande ou medio porte, agregaria somente o caminhao a sua frota e forneceria um motorista empregado pela elas sem vinculo trabalista, no caso, comigo?

    Eu teria que dividir os gastos de manutencao, seguro, contratual, oleo motor, motorista do veiculo etc?

    Voce acha economicamente viavel alguem empreender nesse tipo de investimento?

    A empresa poderia pagar-me um aluguel fixo mensal ou dependeria da quantidade de frete que o meu suposto caminhao fizesse?

    obrigado,

    • Olá Vinny, tudo bem?
      – Normalmente empresas de grande porte fecham um contrato com uma empresa de transportes, que por sua vez agrega caminhoneiros autônomos, porém também já vi a modalidade de o embarcador contratar diretamente o caminhoneiro autônomo.
      – Você não tem que dividir, e sim cobrar o valor acordado de frete do cliente, e pagar o motorista funcionário + encargos. Despesas com manutenção etc também são por sua conta
      – Sobre viabilidade econômica é muito relativo, sugiro uma boa pesquisada antes de qualquer investimento
      – Existem as duas modalidades, e depende da empresa, você pode ter aluguel fixo e também cobrança por viagem.
      Abraço.

  • Roberto Wagner

    Boa tarde Ed! Fiquei feliz em ler seu artigo e mais feliz por saber que existem pessoas como você que orienta e explica de uma forma clara. Gostaria de uma opinião, sempre tive muita vontade de comprar um caminhão 34 e agrega-lo em uma empresa, estou olhando um 710 (2008) mas estou com receio de não encontrar e ficar com ele parado, além do que tenho carteira D mas não tenho experiência. O que você acha? Vale a pena correr o risco? Obrigado e parabéns pelo trabalho!

    • Olá Roberto, agradeço pelo seu feedback.
      Quanto à sua decisão, eu diria que o mercado está muito difícil atualmente para quem quer entrar, de qualquer forma não posso dizer que não há nenhuma chance, mesmo em um mercado difícil sempre existem possibilidades.
      A minha sugestão é fazer muita pesquisa, falar com o máximo de empresas embarcadoras e transportadoras possível, analisar preços de fretes oferecidos em sites de intermediação de fretes, e somente após muita análise tomar uma decisão racional.
      Espero ter te ajudado, boa sorte.

  • Eugenio Dill

    Olá, Ed. Parabéns pela organização e explanação do artigo!

    Estou me informando com várias empresas e profissionais para entrar neste ramo e gostaria da sua opinião! Pretendo adquirir um Bi-truck com baú refrigerado para agregar à uma grande empresa. 1) Como fico sabendo qual valor fechar o contrato, há alguma fonte atualizada? Quais os detalhes que devo me atentar no contrato como despesas com combustível, manutenção, pedágio, etc? Vou financiar o caminhão mediante assinatura de contrato para que eu não corra o risco de deixá-lo parado, mas o que você me diz sobre o risco de ter o contrato cancelado e eu ter de arcar com a parcela mensal? Uma última, qual o segmento de menor risco para agregar?

    Grande abraço.

    • Olá Eugenio, tudo bem? Respostas abaixo:
      1) Não conheço nenhuma fonte, o que eu faria no seu caso é conhecer muito bem os custos, e buscar uma margem de lucro objetiva, para fechar os valores. Neste link nós comercializamos uma planilha que poderá ter dar todos estes valores – http://fretecomlucro.com/calculo-de-frete-rodoviario/ 2) Sempre existe o risco do contrato ser cancelado, e não há muito o que fazer neste caso, o ideal não seria depender do cliente para pagar o caminhão, mas se for totalmente necessário procure estar sempre ligado quando à prestação de serviços bem feita, e tenha um plano B – 3) Não consigo te dizer um segmento de menor risco, cada região tem sua peculiaridade e é preciso entender todas elas, a dica é pesquisar sempre, estar atento às oportunidades. Boa sorte!

  • Gustavo Santos

    Ed tenho 17 anos, meu pai esta preste a aposentar, e quer arrumar alguma maneira de aumentar a renda, queria ser um empreendedor, nessa area, quais dicas voce me da

    • Olá Gustavo, tudo bem?
      Parabéns pela dedicação e interesse mesmo com tão pouca idade.
      Minha maior dica se você e seu pai querem empreender e aumentar a renda é estudar muito cada passo dado, planejar as ações, principalmente na área de transporte rodoviário.
      É possível sim ter um bom rendimento, mas sem contar com o ovo na galinha.
      No Frete com Lucro existem mais de 30 artigos, e sugiro você estudar cada um deles.
      Grande abraço e sucesso na jornada.

  • Guilherme Cardoso Lino

    Boa tarde, Ed Trevisan!
    O meu comentário é um pouco atrasado, tendo em vista que publicou o artigo no ano passado ainda, mas espero que o leia.
    Comprei em agosto de 2016 um veículo IVECO STRALIS, 6×2, 380cv, ano 2009.
    Meu pai trabalha no caminhão como motorista, tem 50 anos e todos os cursos do sest/senat.
    O caminhão está agregado em uma empresa que faz a operação Heinz, mas não estamos muito satisfeitos com o resultado financeiro.
    Preciso de métodos e estratégias para agregar esse veículo em boas empresas, que pagem um bom frete.
    Quais os métodos e estratégias para conseguir agregá-lo?

    • oi Guilherme, tudo bem?
      Além das sugestões que coloco neste artigo, eu diria para você (ou o seu pai) ter contato com o máximo de empresas possível e, sem dúvida nenhuma, a melhor forma de fazer isso hoje em dia, é através do Linkedin.
      Em breve irei postar um artigo falando sobre como você pode usar essa rede social para conseguir clientes, ou agregar seu veículo.
      Grande abraço.
      Ed